Mutirão Agroflorestal celebra 20 anos com plantio de canteiros, shows, oficinas para adultos e crianças, exposição e feira agroecológica na Lapa

Mutirão Agroflorestal celebra 20 anos com plantio de canteiros, shows, oficinas para adultos e crianças, exposição e feira agroecológica na Lapa

template_facebook_quadrado_v1

Nos dias 14 e 15 de outubro a boêmia Lapa no Rio de Janeiro vai acordar bem cedo. Um mutirão reunindo mais de 20 organizações e coletivos de agroecologia e agricultura urbana vai plantar margaridas, bananeiras, pitangueiras, acerola, feijão e outras espécies na Praça Cardeal Câmara, em frente aos Arcos. Em seguida, os grupos recebem o público na Fundição Progresso com oficinas, shows, filmes, rodas de conversa, exposição e feira agroecológica. As atividades celebram o nascimento da campanha Plante Rio e os 20 anos do Mutirão Agroflorestal, movimento iniciado em 1996 inspirado nas ideias do agricultor suíço Ernst Gostch, pesquisador e difusor dos princípios da agrofloresta sucessional e agricultura sintrópica.

O objetivo do evento “Plante Rio – 20 anos do Mutirão Agroflorestal” é reunir pessoas e grupos para trocar experiências, fortalecer a rede, e ao mesmo tempo, difundir na sociedade os princípios da agrofloresta que envolve temas essenciais como alimentação, saúde, educação, cultura, agricultura familiar, reforma agrária, agricultura urbana, florestas, água, sustentabilidade, entre tantos outros.

O “abre alas” da programação será o mutirão no canteiro lateral próximo aos Arcos da Lapa, sexta-feira, dia 14, a partir das 9h. Numa parceria entre a Fundição Progresso, Carpe, OrganiCidade e Fundação Parques e Jardins, o local será semeado e cuidado com o objetivo de enriquecer o solo do local e difundir os princípios da agrofloresta adaptados para os espaços urbanos. Neste mesmo dia, às 14h, acontecem as aberturas da Feira agroecológica e agroflorestal e da mostra “20 anos do Mutirão Agroflorestal”.

Ainda na sexta-feira, a partir das 14h30, começam as rodas de conversa envolvendo diversas entidades, coletivos e especialistas convidados. Os temas vão de “agrofloresta na prática” à educação, agricultura urbana, entre outros. Às 18h terão início as oficinas de gastronomia agroecológica seguidas pelo Sarau Agroecológico. O encerramento do dia, às 20h30, será com show do grupo de forró Cará Moela.

No sábado, dia 15, a programação começa às 9h30 com as oficinas de agricultura urbana e design, PANCs, economia solidária, educação agroflorestal, entre outros temas. Às 13h30 haverá um almoço agroecológico feito pelos agricultores e troca de sementes. As crianças poderão desfrutar das oficinas de acrobacia, “vivências com a natureza”, além de teatro e contação de histórias. Este dia também terá novas rodas de saberes, exibição do filme “Vida em Sintropia” e conversa com Felipe Pasini e Dayana Andrade (Agenda Gotsch).

Às 17h30 o Mutirão Agroflorestal se apresenta e presta homenagem a Ernst Gotsch. Em seguida a cantora e compositora Monica Besser, residente em Berlim, faz um show especial reunindo canções consagradas cantadas na lida dos mutirões ao longo dos anos, com obras próprias inspiradas nesse contato. A percussionista Débora Saraiva e a baixista Eliza Schinner acompanham a cantora no espetáculo.

A feira agroecológica segue noite adentro durante o evento “Lenine e Nação Zumbi”, atividade paga com ingressos disponíveis no site fundicaoprogresso.com.br. Todas as demais atividades do evento serão gratuitas até as 20h.

Mais sobre agrofloresta / agricultura sintrópica

A agrofloresta, além de ser uma técnica de plantio biodiverso de agricultura com árvores numa dinâmica que se baseia nos ciclos da natureza, promove um ambiente cada vez mais rico, ganhando também o nome de agricultura sintrópica por criar recursos ao mesmo tempo em que produz alimentos. A agrofloresta, dentro do cenário agroecológico, reforça a valorização da biodiversidade, o uso das árvores na agricultura tropical, a produção constante de matéria orgânica e, em essência, uma visão de que o ser humano é um ser participante da teia ecológica. A agricultura sintrópica vem ganhando crescente destaque no Brasil e no mundo com diversas experiências apontando resultados importantes para a sustentabilidade que almejamos.

Sobre o “Plante Rio”

A Fundição Progresso, complexo cultural que ocupa uma antiga fábrica de fogões e cofres na Lapa, Rio de Janeiro, criou, em 2013, o projeto “Canto das Flores”. Silenciosamente, uma pequena “floresta” surgiu entre as estruturas de ferro inglesas do prédio, no segundo andar, defronte aos Arcos da Lapa. Rapidamente, o espaço começou a reunir a juventude, em especial o coletivo OrganiCidade, que passou a desenvolver ali projetos diversos nas áreas de reflorestamento urbano com plantas ornamentais comestíveis, além de cursos, oficinas, entre outras iniciativas. O “Plante Rio”, que nasce do encontro dessas iniciativas locais com o veterano Mutirão Agroflorestal e programa outras ações na cidade ao longo dos próximos anos.

Serviço

Plante Rio – Mutirão Agroflorestal 20 anos

Dias 14 e 15 de outubro na Fundição Progresso – Rua dos Arcos, 24, Lapa

Entrada franca
Horários: dia 14/10 das 9h às 22h :: dia 15/10 das 9h às 20h
(21)3212-0800
Capacidade: 4.000 pessoas
Para saber mais aqui.

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.