PicniK Festival rola em julho em Brasília

PicniK Festival rola em julho em Brasília

foto: Tomas Faquini
foto: Tomas Faquini

Mantendo a máxima de que navegar é preciso, o PicniK retoma seu passeio por Brasília e aterrissa num templo sagrado da música na capital brasileira: a Concha Acústica. Consagrado projeto itinerante brasiliense, conhecido por congregar milhares de pessoas em harmonia a cada edição, o PicniK ocupará o local pela primeira vez em 2 e 3 de julho (sábado e domingo) no formato festival. Ao longo dos dois dias de programação será apresentado ao público uma diversificada e inusitada programação com 20 shows, além de atividades, palestras, workshops e marcado alternativo com o melhor da economia criativa de Brasília. A entrada é franca.

Buscando movimentar a cena musical da cidade e promover o encontro e o intercâmbio de experiências e informações entre novatos e veteranos, a grade de shows do PicniK Festival contará com atrações locais, nacionais e internacionais. Entre os convidados estão artistas renomados, como o cantor Lucas Santtana (BA), o instrumentista Guizado (SP) e o produtor de música eletrônica Bruno Belluomini, o Horos (SP).

Bandas em ascensão no cenário roqueiro do país também estarão presentes, caso do quarteto neo-psicodélico Bike (SP), do duo stoner Muñoz (MG), do quinteto dream pop Marrakesh (PR) e do trio indie rock My Magical Glowing Lens (ES). A surf music será representada pelos paulistanos do Gasolines, o garage rock pelos goianos do Bang Bang Babies e o lo-fi pela banda Magic Crayon, também de São Paulo. Diretamente de Valdivia, Chile, chegam os shoegazers do Trementina. A eles juntam-se as pratas da casa Pedrinho Grana & Os Trocados, Dillo, Aloizio, Disco Alto, Enema Noise e as novidades Joe Silhueta, Consuelo, O Bando de Sara e Forró Red Light.

O clássico mercadinho alternativo, famoso por reunir as mais destacadas marcas autorais da cidade, tem, mais uma vez, posição de protagonismo dentro do PicniK. O espaço destaca-se por agregar talentos da economia criativa local, com empreendedores das áreas de artes plásticas, moda, fotografia, decoração, design, artesanato e gastronomia. Uma ótima opção para quem deseja atualizar o guarda-roupa ou comprar um presente inusitado.

Entre as novidades do PicniK Festival está a parceria com a Feira de Discos de Brasília, que realizará, dentro do evento, sua 11ª edição. Com a presença dos principais vendedores de discos de vinil do Distrito Federal, a feira é o ambiente ideal para encontrar de raridades a lançamentos de diversos estilos musicais e com preços para todos os bolsos.

Outra novidade do PicniK Festival é o espaço Semânticas, criado para discutir assuntos pertinentes da música independente e das artes gráficas. Em 2 julho, serão apresentados dois painéis, um debatendo o cenário musical alternativo brasileiro contemporâneo, com a presença de Lucas Santtana e de representantes do selo gaúcho Honey Bomb Records e dos sites Scream & Yell (rock e cultura pop) e Tranquera (música eletrônica); e outro sobre intervenções artísticas urbanas, com participação do grafiteiro Adriano Cinelli (Onio) e do coletivo goiano Sobre Urbana.

Para quem quer colocar a mão na massa, a tradicional área de workshops do PicniK apresenta em 3 de julho (domingo) uma série de atividades. A escola Perestroika fará uma oficina de Processo Criativo e o coletivo Sobre Urbana (GO) vai ensinar a fazer bancos de pallet, com uma breve abordagem teórica sobre a importância da apropriação dos espaços públicos, além da introdução de conceitos como o placemaking e o urbanismo tático.

Como o universo das cervejas artesanais tem tudo a ver com o rock, o jornalista e beer sommelier paulista Marcelo Costa (editor do site Scream & Yell) apresentará uma concorrida palestra (com direito a degustação!) sobre as Escolas Cervejeiras.

A Área Zen novamente traz luz para a experiência, convidando o exército PicniK a participar de aulas gratuitas de yoga, meditação, dança e até mandalas em bordado. Esse espaço também será palco para o projeto Entre Olhares, movimento mundial que promove a troca de olhares entre estranhos em encontros realizados em locais públicos. A ideia é que os participantes façam contato com desconhecidos e, por meio do contato visual olho a olho, reflitam sobre as conexões humanas. Essas atividades não precisam de inscrição prévia. Para participar, basta chegar no horário indicado na programação.

O Espaço de Cura, que estreou com sucesso na edição anterior do PicniK (21 abril), foi desenhado especialmente para oferecer momentos de maior clareza, equilíbrio e autoconhecimento aos interessados. Para tanto, diversos terapeutas atuantes no mercado holístico local, como massagistas, auriculo acupunturistas, xamãs indígenas e astrólogos oferecerão seus serviços, abrindo a mente dos curiosos para novas possibilidades transcendentais.

Com atividades voltadas para crianças e adultos, o Espaço Mini Arena e a Área Kids oferecem apresentações de teatro, aulas de perna-de-pau, brinquedos infláveis e também pula-pula.

Vale lembrar que o acesso ao Picnik Festival é gratuito. O evento, tanto no sábado quanto no domingo, começará às 13h. A classificação indicativa é livre. Toda a família está convidada. Chame os amigos (e também os vizinhos, a paquera, os colegas de trabalho…), traga seus cães para passear, não esqueça da toalha quadriculada e da cesta de piquenique. Brasília é uma cidade jovem sedenta por compartilhar belezas e cores, em constante movimento e que se encontra para brilhar!

Serviço

PicniK FESTIVAL
2 e 3 de julho, das 13h às 22h, na Concha Acústica (SHTN Vila Planalto, orla do Lago Paranoá)
Entrada franca
Para conferir toda a programação aqui.

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.