Capadócia : Terra da Magia e de São Jorge - MISTURA URBANA

Capadócia : Terra da Magia e de São Jorge

12144844_10153072040122026_1448784359225213398_n

Sem dúvida uma das viagens mais incríveis que já fiz na vida foi para a Capadócia – o lugar mágico, terra de São Jorge, de formações rochosas vindas de um filme, e de uma atmosfera e de um povo onde você se sente muito bem.

Depois de passar pela Turquia, veja aqui como foi essa aventura colorida, fomos em direção à um dos lugares mais místicos que já conheci. Pegamos um vôo de Istambul a cidade de Nevşehir, a principal cidade-base da região, e onde há aeroporto e fica há 10 quilômetros do nosso destino que era Goreme.

Goreme é o coração da Capadócia, com suas erupções vulcânicas pela ação da erosão, criaram na região central da Anatólia, um lugar privilegiado com formações rochosas únicas no planeta. Sua riqueza e seu valor cultural, seus habitantes que vão dos gregos aos romanos, suas cidades subterrâneas, as igrejas esculpidas nas cavernas, os cavalos selvagens e o fato de São Jorge ter nascido ali, fazem da Capadócia um lugar dos sonhos, e um dos destinos mais procurados do país.

Assim que chegamos em Goreme, estava viajando com meu pai e minha irmã, fomos diretamente para o nosso hotel. Lá, a maioria dos hoteis são construídos em cavernas, o que dá mais ainda todo o charme para o momento. Se dependendo da temporada o bolso não permitir, há outras opções mais em conta e não menos charmosas, como se hospedar em um hostel que é uma casa de pedras no Rock Valley Cappadocia, um hostel com quartos compartilhados e privados, com ótimo café da manhã.

Nós ficamos hospedados no Goreme Inn Hotel, que tinha uma vista incrível da cidade e era perto de tudo, de restaurantes à passeios na região central, dava pra fazer tudo a pé.

11222007_10153072041862026_3317527564071324098_n

12079149_10153072036097026_4945051862541371339_n

12096429_10153072039882026_5250725068405925424_n-1

12107839_10153072043197026_7065857181396238930_nq2

Como tínhamos pouco tempo por lá, resolvemos explorar o lugar e sair para caminhar. Do centro, onde há lojinhas de todos os tipos, fomos subindo as ruas em direção às formações rochosas, que foram esculpidas com a força do vento e da erosão, e que deram origem a belas igrejas cravadas nas pedras. Goreme fica dentro de um parque nacional e apresenta a maior concentração de construções religiosas trogloditas de toda a região já de si muito pródiga nesse tipo de patrimônio. A área foi classificado pela UNESCO como Patrimônio Mundial em 1985, juntamente com os chamados Sítios Rupestres da Capadócia. Além disso, sua paisagem peculiar e pitoresca datam de 10 milhões de anos.

Depois de passear e avistar algumas dessas formações rochosas tão incríveis, fomos procurar um restaurante tradicional. A comida turca é deliciosa, e mistura elementos da culinária otomana e da cozinha árabe, todos os pratos exalam aroma com a mistura de temperos e são saborosos. Alguns dos pratos típicos: sopa de lentilha, frango com iogurte, o Pottery Kebab que é muito famoso na região, onde a comida é preparada dentro de um pote de barro fechado, e que depois é aberto e quebrado na frente do cliente pronto para ser devorado. Tem ainda o delicioso pão turco que é o Pide e é claro, o tradicional chá de maça de todas as horas.

Agora, se liga em algumas dicas de passeios legais para se fazer e o que conhecer por lá:

Museu à Céu Aberto de Goreme

Este museu é uma das principais atrações turísticas da Capadócia e é considerado um Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Ele possui um grande conjunto de igrejas construídas em cavernas pelos cristãos entre os séculos X e XIII. Elas são famosas pelos afrescos pintados nas paredes, muitos deles em bom estado de conservação.

O museu está a pouco mais de 1 km do centrinho de Goreme, numa caminhada de aprox. 20 minutos, cujo trajeto proporciona ótimas fotos da paisagem da região. Ele funciona diariamente das 8h às 17h e o ingresso custa 15 liras turcas (aprox. R$ 18,00). Este valor não inclui a entrada à Igreja Escura, que está no interior do museu. Para visita-la é preciso pagar uma taxa extra de 8 TL (R$10,00). Esta igreja é a mais bonita de todas, pequena porém cheia de pinturas no teto e nas paredes. Infelizmente não é possível tirar fotos no seu interior. É possível fazer o passeio pelo museu com um áudio-guia, pagando uma taxa extra. Na saída vale a pena visitar a lojinha do museu, que possui vários itens interessantes e com bons preços.

Cidade subterrânea de Kaymakli

A região da Capadócia possui dezenas de cidades subterrâneas, muitas delas interligadas por túneis. A maior delas é a de Kaymakli, que foi a que eu visitei. Ela possui oito andares abaixo do solo, porém a visitação só é pertimida nos quatro primeiros níveis.

As cidades subterrâneas foram construídas principalmente para proteger os cristãos da invasão de inimigos. Eles chegavam a ficar semanas trancados dentro delas. Nesta de Kaymakli estima-se que seis mil pessoas chegaram a conviver ao mesmo tempo. Há uma divisão bem clara dos ambientes, com dormitórios, cozinhas, depósito para alimentos, igrejas, portas secretas, túneis de ligação e poço profundo que servia como sistema de ventilação. Até animais eram levados para dentro das cidades subterrâneas!

Não é um passeio muito fácil de fazer, quem sofre de claustrofobia pode ficar agoniado e quem tem dificuldade de locomoção não vai conseguir se deslocar entre os ambientes, já que há várias passagens estreitas e apertadas, onde é preciso andar agachado. É preciso ter um pouco de sorte para encontrar a cidade com poucos turistas, pois se muito grupos estiverem lá, a visita vai ficar bem mais demorada, já que os ambientes são pequenos e estarão sempre ocupados. Para visita-la é preciso pagar uma taxa, em torno de 20 liras turcas (R$24,00).

Vale da Imaginação

O Vale da Imaginação é uma área cujo relevo relembra a superfície da lua e que também contém diversas rochas em formatos exóticos que remetem a animais, como, por exemplo camelo, tubarão, golfinho, cachorro e focas.

Vale do Amor

Localizado bem próximo à Goreme, o vale tem este nome, acredite, por causa do formato sugestivo das chaminés-de-fada, que remetem ao órgão sexual masculino. Quando o guia me contou, achei que era piada, mas realmente é verdade. É possível fazer uma longa caminhada por este vale, mas por falta de tempo, visitei ele apenas de passagem.

E claro, não posso deixar de contar a experiência única e inesquecível que é sobrevoar de balão por todo esse lugar mágico. Como disse no início do post, esse era um dos meus maiores sonhos: o vôo de Balão. Achei que ele aconteceria em Boituva, no interior de São Paulo, que também é demais, mas o universo resolveu me dar um plus e ele aconteceu na Capadócia.

Existem muitas agências que fazem o vôo de Balão, e é preciso fazer uma boa pesquisa, olhar com cuidado os preços, saber quantas pessoas vão no balão, enfim, tudo certinho. Escolhemos a agência Maccan Balloons, que é bem conhecida por lá, pagamos cerca de 100 euros por pessoa, e tivemos a sorte grande de pegar um piloto que era de Portugal, o João, e tudo ficou ainda melhor.

No dia do vôo, a agência pega para te pegar no hotel por volta das 4h da manhã, acontece antes do amanhecer mesmo, porque tem todo um ritual. De lá, chegamos na agência, onde tomamos um bom café da manhã, assistimos alguns vídeos e tivemos algumas explicações de como seria o vôo. Depois disso, e por volta das 5h, fomos para o local. A preparação inclui ver os balões a serem enchidos de ar, e é aí que o coração começa a se emocionar. Ainda não havia amanhecido, estava escuro e não dava pra ter muita noção do que estava por vir, até porque ainda estávamos em terra, nos preparando para o grande acontecimento.

Balões prontos, enormes e coloridos prontos para voar. Depois de algumas explicações de como pousar e para aproveitar o melhor do passeio, é hora de viajar. A segunda sorte do dia: no nosso balão, só havia meu pai, minha irmã eu, o piloto e o assistente do piloto.

O balão de ar quente se locomove através das correntes de ar, e o controle do sobe e desce atrás do vento certo fica a cargo do uso de um maçarico, que joga mais ou menos ar quente dentro do balão. Quanto mais fogo, mais altitude. Tudo é guiado pelo uso de quatro instrumentos durante um vôo: bússola (para orientar a direção), altímetro (para indicar a altitude), variômetro (para mostrar a velocidade de subida) e termômetro (para acompanhar, por exemplo, a temperatura do ar dentro do balão). Os equipamentos podem ir presos ao cesto ou às cordas. Além disso, no nosso super balão havia uma GoPro, onde de tempos em tempos era disparada automaticamente para capturar os momentos mais incríveis do nosso passeio.

12108996_10153072034947026_6708743595838067113_n

12112347_10153072043117026_944527433751543049_n

12112385_10153072039397026_1230451697648675398_n

12115904_10153072039032026_5116570528335068696_n

A sensação de estar cada vez mais longe do chão é indescritível. Viver esse momento junto com o amanhecer na Capadócia é algo que fez cair algumas lagriminhas e um sentimento de muita gratidão invadiu meu coração. O passeio dura cerca de 1 hora mais ou menos, e sobrevoamos lugares como o Vale do Amor, toda a região de Goreme, a chaminé das fadas, as plantações de abóboras que ficavam minúsculas vistas do alto. Há centenas de metros de altura, o cenário é outro. Você se torna mais parte ainda do universo e consegue ter mais noção de como o mundo é ainda mais lindo visto de cima.

Quando o passeio está quase terminando, e antes de pousar o piloto vai nos avisando de como será o pouso. Assim que estamos mais próximos do chão, a ordem é que todos abaixem com os joelhos dobrados, assim o pouso é perfeito. Esse é o momento que dá uma certa adrenalina a mais, porque o balão não pode virar né? Nosso pouso aconteceu de uma maneira engraçada em um área rural. Depois de muitas risadas, aplausos e champagne para comemorar é hora do batizado e de receber o certificado do nosso primeiro vôo.

Pés no chão novamente e a certeza de que o coração nunca mais vai esquecer desse dia. A Capadócia é isso: sonhos realizados, pessoas prontas para te receber bem, de alma e peitos abertos, um pôr do sol que é celebrado todos os dias como uma cerimônia e o gostinho de voltar novamente e viver tudo isso mais uma vez.

Se quiser viajar por mais lugares incríveis, veja aqui por onde já passei.

Até a próxima aventura!!!!

12116017_10153072042232026_9069312942046045765_n

12122643_10153072039772026_2810359705046407580_n

12122934_10153072036412026_4246005811759353367_n

12144844_10153072040122026_1448784359225213398_n

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.