Se Essa Vila Fosse Minha retrata transformação em comunidades a partir do lixo - MISTURA URBANA

Se Essa Vila Fosse Minha retrata transformação em comunidades a partir do lixo

Projeto Varre Vila inspira livro e exposição beneficente com ensaios fotográficos de Marlene Bergamo, Paulo Vitale e Anna La Stella

Fruto da imersão de três renomados fotógrafos em comunidades da Zona Leste de São Paulo, a mostra “Se Essa Vila Fosse Minha” ocupa a Galeria Olido, no centro, entre 22 de março e 22 de maio.

Com trabalhos autorais e complementares, Marlene Bergamo, Paulo Vitale e Anna La Stella foram convidados pelo documentarista italiano Daniele Ottobre para retratar os protagonistas do Varre Vila.

O movimento de educação ambiental e engajamento comunitário, liderado por Ionilton Aragão, fez das ruas de comunidades como Vila Santa Inês e Nossa Senhora Aparecida estarem entre as mais limpas da metrópole de 20 milhões de habitantes.

O trio de fotógrafos aceitou o desafio de contar em imagens uma bela história na qual o lixo é o ponto de partida de uma viagem que mistura consciência ambiental, engajamento popular e arte”, afirma Ottobre, curador da mostra e idealizador do livro que registra a experiência.

Paulo Vitale, ex-editor de fotografia de revistas como  “Época”, encarregou-se do registro de vultos e personagens tendo os muros grafitados da área como pano de fundo. Com a experiência de quem percorreu mais de 40 países fazendo trabalhos editoriais, corporativos e publicitários, Vitale montou sets com toda a parafernália de luzes nas ruas das comunidades. Retratou personagens como dona de casa Eremita França, 83, que posou com cabo de vassoura em mãos. “Eu acordo mais cedo do que todo mundo para varrer a porta da minha casa, antes que algum vizinho ou os varredores passem. Quando eles aparecem, tá tudo limpinho.”

Cenas do cotidiano local que também foram flagradas pelas lentes de Marlene Bergamo, atualmente na “Folha de S. Paulo”. Dona de um trabalho de forte conotação social e que lhe rendeu importantes prêmios, a fotógrafa registrou o dia a dia de moradores que embarcaram no sonho de acabar com a sujeira das ruas da comunidade, hoje enfeitadas por grafites.

É na arte de rua que Anna La Stella, fotojornalista italiana, extrai os detalhes de suas fotomontagens que compõem a mostra e o livro “Se Essa Vila Fosse Minha”. Radicada em Milão, ela veio a São Paulo se somar aos colegas brasileiros com a missão de se concentrar nos grafites espalhados pela Vila Santa Inês. Um dos focos do seu trabalho são as duras paisagens das periferias mundo afora.

Todas as 50 obras em exposição estarão à venda e a renda será revertida para melhorias na praça que é símbolo do projeto e da transformação.

O local vai ganhar bancos desenhados pelos arquiteto italiano Marco Casamonti, do Studio Archea, que acaba de projetar uma cidade na China e assina o projeto da Cantina Antinori, na Toscana, uma das maiores vinícolas da Europa.

Ele se engajou voluntariamente ao projeto “Se Essa Vila Minha” e doou o projeto a ser executado com o dinheiro arrecado com as obras em exposição. Tanto o projeto Varre Vila quanto o livro e a mostra têm o apoio do Consórcio Soma, responsável pela limpeza urbana da área.

Serviço:
Se Essa Vila Fosse Minha
Aberta gratuitamente ao público de 22/3 a 22/5 de 2016, sempre de terça a domingo, das 13 às 20 horas.
Galeria Olido – 1.º pavimento – Avenida São João, 473 – Centro – São Paulo (SP)
Fones: (11) 3331-8399 ou (11) 3397-0171.

se essa vila1

se essa vila3

se essa vila4

se essa vila5

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

 

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com