Coletivo usa Kombi híbrida para levar oficinas de permacultura, cinema e música para Minas Gerais e Espírito Santo - MISTURA URBANA

Coletivo usa Kombi híbrida para levar oficinas de permacultura, cinema e música para Minas Gerais e Espírito Santo

image001

Um grupo de sete educadores, artistas e engenheiros de São Paulo realizará de 13 a 20 de dezembro a Expedição Rio Doce, que de levará para quatro cidades de Minas Gerais e Espírito Santo tecnologia de minicisternas para a captação da água da chuva, com intuito de colaborar no aproveitamento dos recursos hídricos em decorrência da crise de desabastecimento provocado pelo desastre em Mariana. Além disso, o grupo realizará um documentário sobre as cidades na Bacia do Rio Doce, fará sessões de cinema e música. As cidades que serão visitadas nesta, que será a primeira expedição, serão Governador Valadares em Minas e, no Espírito Santo, Baixo Guandu, Colatina e Linhares. Três cisternas serão doadas para as comunidades que serão visitadas.

Para realizar a expedição, que acontecerá a bordo da ‘Zeolina’, Kombi híbrida – que funciona à gasolina e hidrogênio – o grupo planificou os custou e lançou uma campanha de crowdfunding por meio da plataforma Partio, que apresenta toda a concepção do projeto no link.

“Realizaremos nessas cidades oficinas sobre como utilizar a água da chuva. A ideia é formar multiplicadores dessas técnicas, que possam continuar levando essa informação para outras pessoas”, explica Vinícius Pereira, músico e educador que integra o coletivo Permacultores Urbanos. “Também vamos documentar e fotografar tudo, para mostrar o nosso olhar sobre essa tragédia. E que seja só o começo de uma relação com as sociedades ribeirinhas, no intuito de colaborar no processo de reconstrução dessas cidades de forma sustentável, para que o rio e a natureza sirvam de espaço para convivência. A água é vida.”

Expedição Rio Doce Vivo from Expedição Rio Doce on Vimeo.

Permacultura

A palavra “permacultura” surgiu na década de 1980 quando o australiano Bill Mollinson resolveu buscar inspiração em práticas antigas relacionadas à atuação do homem na agricultura para se criar um modelo alternativo ao existente hoje, no qual há desflorestamento e uso de agrotóxico nas lavouras. A ideia cresceu e, apesar de utilizar conhecimento antigo sobre o manejo dos recursos naturais, novas tecnologias foram sendo utilizadas. “Permacultura é cultura da permanência, uma forma de conseguir organizar a sociedade, nossas casas e cidades em ambientes sustentáveis. É permanecer na terra, e manter a terra viva”, explica Pereira, dono de Zeolina, a Kombi híbrida.

kombi zeolina_144910569930376370000

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.