Em "Somos Memória", fotógrafa parte para uma viagem ao Japão, em busca do longínquo, do exótico e do misterioso - MISTURA URBANA

Em “Somos Memória”, fotógrafa parte para uma viagem ao Japão, em busca do longínquo, do exótico e do misterioso

5

A Galeria Vilanova expõe “Somos Memória”, primeira individual da designer de interiores e fotógrafa carioca Ana Teresa Bello, com curadoria de Thomas Baccaro. Dividida em quatro séries – Respiro e Silêncio, Pequenos Desvios do Olhar, Arquitetura da Luz e A Solidão de Cada Um -, a mostra é composta por 15 imagens capturadas ao longo de uma viagem feita pela artista ao Japão, com paisagens urbanas intimistas, e cenas atemporais de um cotidiano muito distante do nosso.

“A memória é um recorte do mundo.” Com esta definição, Ana Teresa Bello partiu para uma viagem solitária ao Japão, com o objetivo de fotografar seu projeto autoral Somos Memória, resultado de uma pesquisa da artista acerca da compreensão do tempo, do silêncio e do outro. Com este trabalho, Ana Teresa Bello também coloca em discussão o fato da maior parte da nossa memória estar, ao que tudo indica, gravada em nossos celulares e em redes sociais. “Muito me interessa o quanto o impulso de compartilhar na virtualidade, para legitimar uma experiência, arranca as pessoas de um senso de presença no real”, comenta. Reflexo de sua carreira paralela na área de Arquitetura, as imagens da artista ainda revelam uma preocupação com a harmonia das linhas e ângulos, e com a preservação da cena original, no enquadramento como foi clicada, sem pós-edição. Neste sentido, as imagens da artista revelam detalhes de uma experiência ímpar, seja dentro de um quarto incógnito, despido de qualquer traço nipônico, ou em cenas urbanas compostas de grafismo e desfoque, ou em retratos espontâneos, como a geisha “pós-moderna”, que anda pela rua isolada em seu smartphone, alheia a tudo.

2

6

Em sua primeira individual, Ana Teresa Bello leva ao espectador uma Tóquio desacelerada, onde luz e sombra penetram silhuetas incomuns, nas fendas de uma arquitetura fria e brutal. Desta forma, Somos Memória oferece uma linha tênue entre a delicadeza da tradição e o espasmo da modernidade no Japão, em um processo de desbravamento do longínquo, do exótico e do misterioso. No fundo, a intenção da fotógrafa é dizer: “você é o lugar que habita, e você habita a sua própria memória, construída nesse lugar”.

Mais da artista

Ana Teresa Bello
Carioca, viajante e espectadora. Olhando para o mundo, para a cidade e para as pessoas, ela se emociona com imagens e busca eterniza-las em frames para dividi-las com o mundo. É preciso andar por aí, mas também é preciso calar. Entre 2014 e 2015 Ana Teresa viajou para Islândia e Japão, em uma busca silenciosa de onde saíram algumas das suas séries. O trabalho de dez anos em arquitetura ajudou a já pensar em seus ângulos fotográficos de maneira com que eles não precisem ser editados. A ideia é congelar um momento com sua força, delicadeza e impacto, da maneira com que ele é. Depois de ter sido selecionada para o workshop da Magnum em março de 2015, Ana apurou ainda mais o seu olhar e sua característica de sempre criar uma narrativa nas imagens, um espaço para que o outro possa participar com seus próprios sentimentos. O externo refletindo o interno. Para ver é preciso sentir.

Serviço

Exposição “Somos Memória”
Artista: Ana Teresa Bello
Curadoria: Thomas Baccaro
Coordenação: Bianca Boekel
Abertura: 20 de outubro de 2015, terça-feira, às 19h
Período: 21 de outubro a 14 de novembro de 2015
Local: Galeria Vilanova
Rua Domingos Leme, 73 – Vila Nova Conceição – São Paulo, SP
Tel.: (11) 2691-1190
Para saber mais aqui.

7

11

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.