Exposição "Movimentos" reúne serigrafias sobre movimentos políticos na Caixa Cultural RJ - MISTURA URBANA

Exposição “Movimentos” reúne serigrafias sobre movimentos políticos na Caixa Cultural RJ

"Movimentos" - Marcelo Ribeiro_Brasil
“Movimentos” – Marcelo Ribeiro_Brasil

A mostra “Movimentos”, que será inaugurada no dia 12 de agosto (quarta), às 18h, na CAIXA Cultural Rio de Janeiro, traz um painel formado por telas em silkscreen com uma série de retratos e referências de jovens que participaram das manifestações democráticas no Brasil, em 2013, além de Turquia, EUA e Grécia. A individual de André de Castro já foi exibida durante a Art Basel em Miami, BKLYN fair no Dumbo-Brooklyn e ocupar a Opus Galery no Chelsea, Nova York, além de ser vista por cerca de 30 mil pessoas em Brasília e Belo Horizonte.

Composto por cerca de 35 telas, o painel, iniciado em 2013 e em constante expansão, está sendo concluído nas exposições do Brasil com telas inéditas. A escolha da técnica não foi por acaso. O silkscreen – ou serigrafia, como é conhecida no Brasil – é associado a movimentos políticos históricos e a mitificação de personalidades, como Che Guevara, Marilyn Monroe e o presidente Barack Obama, por exemplo. No entanto, a intenção não é ​​elevar heróis ou representantes dos movimentos, mas usar essa técnica para valorizar a agência de todos, valorizar o conjunto formado por indivíduos únicos. ​

Cada imagem é um monoprint, uma estampa impressa em cópia única, que cria uma linguagem visual espontânea e gestual, sem registros ou alinhamentos. Na sala de exposição, as referências visuais de cada um são acompanhadas pelo áudio de trechos das músicas escolhidas por eles.

O contato com os manifestantes aconteceu pelo mesmo meio que eles utilizaram para organizar as passeatas na época: a internet. Com ajuda da rede, André identificou e reuniu uma série de referências de cada jovem – cores, imagens, músicas e objetos, por exemplo – para criar uma composição única, mostrando as singularidades de ideias e culturas de cada um.

“Busquei contato por hashtags, em grupos do Facebook, no Twitter… A grande maioria dos participantes são jovens que estão sempre conectados, e assim que os identifiquei, conversei sobre o projeto e ​pedi a cada retratado que enviasse uma foto de rosto e respondesse a uma série de perguntas relacionadas ao movimento político de seu país e sua identidade”, conta o artista.

Sobre o artista

Nascido no Brasil e radicado nos EUA, o artista visual André De Castro vive e trabalha ​​entre Rio de Janeiro e o Brooklyn​. Em 2011, mudou-se para NY para fazer MFA na Pratt Institute e, desde 2013, mantém seu estúdio no Brooklyn e trabalha como diretor de arte na Saatchi and Saatchi. Em 2009, André publicou seu primeiro livro “Funk – que batida é essa”, um conjunto de ilustrações que retratam o funk carioca, fruto do projeto de graduação na PUC-Rio. Durante o mestrado, participou do livro “Five Conversations on Graphic Design”, publicado pela Pratt Press. O artista venceu, em 2013, o prêmio “​Never Stop Never Settle”, ​promovido pela Pratt Institute e Hennessy US​ com o projeto “Movimentos”. No ano seguinte, André passou a participar da “Opus Project Space” como artista e teve sua primeira exposição solo na Opus Gallery em NY, no Chelsea.
Este ano, para dedicar-se à exposição “MOVIMENTOS”, aqui no Brasil, o artista transferiu seu estúdio para a antiga fábrica da Behring, no Rio de Janeiro.

Serviço

Data: 12 de agosto a 11 de outubro de 2015
Local: Galeria 2
Classificação indicativa: Livre

"Movimentos" - Stacy Lanyon_EUA
“Movimentos” – Stacy Lanyon_EUA

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.