Tinho Nomura abre mostra inédita na Galeria Movimento no RJ - MISTURA URBANA

Tinho Nomura abre mostra inédita na Galeria Movimento no RJ

A partir do dia 2 de julho a Galeria Movimento, no Rio de Janeiro, apresenta ao público os trabalhos de Walter Nomura, o TINHO, um dos precursores e um dos nomes mais conceituados da arte urbana no Brasil.

O artista faz parte de um grupo que rompeu com a estética da arte urbana internacional, criando traços próprios e ousados, alavancando o nível da arte urbana brasileira e mundial, inovando e levando mensagens politizadas para a arte de rua. Tinho Nomura foi convidado pela Xucun Comuna de Arte Internacional, uma importante Instituição de Arte Chinesa, para fazer uma residência na China ainda este ano, em agosto.

Em paralelo à exposição na Galeria Movimento, será realizada uma campanha de arrecadação de roupas e o público está convidado a participar. Interessados poderão trazer roupas para doação, que primeiramente irão compor uma instalação que Tinho Nomura assina pensando nesta doação ao Instituto da Criança, uma organização do Terceiro Setor que promove o Empreendedorismo Social. Na medida em que o público trouxer as roupas, a instalação ganhará volume e criará forma.

A mostra inédita gira em torno dos bonecos de retalhos, personagens criados pelo artista em 1993, quando inicialmente eram inteiramente brancos ou pretos, somente com olhos e alfinetes coloridos. A transformação veio com a mudança de conceito, viraram bonecos de retalhos, inspirados na cultura de patchworks do Brasil. Os retalhos trouxeram outros significados, cada retalho representa uma vivência, uma experiência, é uma representação do ser humano. Nesta mostra, “Verdades que habitam em coisas que restam” eles saem das telas, ganham papel principal e se materializam.

Segundo Tinho a inspiração está na observação de como as pessoas vivem os relacionamentos dentro da grande metrópole. Trata dos sentimentos que não são expostos e ficam nas entrelinhas, nas pausas e silêncios.

São sete obras de um metro e meio de altura, artesanais e únicos, em oposição aos brinquedos industrializados. São fruto analógico do início desse milênio que ruma para a vida digital. Para o artista simboliza uma figura protetora e acolhedora, como um último recurso para uma criança abandonada. Esse aspecto sombrio é uma característica da sua busca artística. Crianças tristes fazem as pessoas pensarem, uma vez que chamam a atenção e despertam a curiosidade. “Todo adulto tem uma criança interior, que deve aprender a cuidar ao longo do curso da vida”, conta ele.

Tinho Nomura também vai apresentar 14 telas inéditas que dialogam com o público justamente sobre a tentativa da arte estabelecer uma comunicação com o espectador, de forma a levantar e discutir questões contemporâneas, cotidianas. Em sua história, o artista como um ser metropolitano, trouxe questões que giram em torno da vida urbana, dos problemas sociais a que estamos expostos diariamente e questões políticas e econômicas que acabam por refletir em todo o nosso viver. Em seu trabalho, esses temas se relacionam e se complementam de forma estética e conceitual.

Snap 2015-06-19 at 19.13.36

Tinho – Verdades que habitam em coisas que restam
Abertura: 02 de julho, às 19h
Exposição, 03 de julho a 31 de julho

Galeria Movimento
Endereço: Av. Atlântica, 4240 / lojas 212 e 213
Funcionamento: Segunda-feira, das 10 às 19h. Terça a sexta-feira, das 11 às 19h30. Sábado das 12 às 18h.
Assessoria de Imprensa:
Bianca Teixeira: 97813-1883
Fernanda Cotta: 99197-5487

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com