Mini O Cluster na Floresta faz edição especial e promove imersão na economia criativa - MISTURA URBANA

Mini O Cluster na Floresta faz edição especial e promove imersão na economia criativa

11390307_858449120914606_1996126944938914958_n

Acostumados há dois anos e meio – tempo que O Cluster existe – às edições bimestrais no casarão de Botafogo, é possível pensar que o objetivo é “crescer”. Afinal, serão dois dias de evento, ao contrário das domingueiras criativas de sempre. O verbo que é sinônimo de “aumentar” aparece entre aspas intencionalmente. O objetivo de Carolina Herszenhut, idealizadora d’O Cluster, nunca foi espremer até a última gota, deixar o mercado ter seu curso natural e eventualmente morrer, como muitos outros. O que sempre quis foi criar uma plataforma de interação, experiência, qualidade, troca e vivência. O próximo O Cluster acontece nos dias 27 e 28 de junho, sábado e domingo, em um casarão no meio da floresta, na Estrada das Canoas.

O número de marcas participantes baixou de 50 para 26. São 20 de moda e design, seis de gastronomia, os artistas Chloé Le Prunennec, Marcel Serrano, Marcelo Eco e sete dj’s. A intenção é voltar às origens e proporcionar a experiência de adquirir (ou não) um produto exclusivo, onde o ‘cliente’ pode sentar, tomar um café, uma cerveja ou vinho, bater um papo com o expositor, saber de onde vem o material usado, das ideias e quiçá, fazer um novo amigo, ali mesmo. “Vendedor” e “comprador” no mesmo nível, sem hierarquia, conversando aberta e honestamente. Experiência e conteúdo, não apenas o simples e vazio ato de ‘comprar e vender’.

“Idealizei o formato d’O Cluster, mas o mérito de ele ser um evento longevo, comparado aos fugazes tempos atuais, que está sempre se reinventando, não é somente meu. Muitas pessoas trabalham comigo, dão palpites e sugestões. A curadoria criteriosa e elogiada das marcas participantes é feita por mim e a produção, por exemplo, feita a quatro mãos, entre mim e a Juliana Cabeza; a ideia de fazer um uma revista eletrônica, que abrigasse marcas que não poderiam participar do evento, por uma questão de espaço físico, veio da Aline, que cuida das mídias sociais. O pessoal do Boca no Trombone toca a parte musical; o Leo Vairo da Velt me ajuda na cenografia e por aí vai. O Cluster é um cluster no literal sentido da palavra: uma aglomeração de pessoas dando ideias, sugerindo, criando e botando a mão na massa para fazer acontecer. Esse é o nosso diferencial” explica Carol. Sobre a mudança de endereço, completa: “O Cluster cresceu muito e estávamos perdendo um pouco da nossa essência. A escolha por este lugar foi feita para que pudéssemos retroceder. Queremos que o público tenha mais experiência e interação. A casa é linda, no meio da floresta. Proporciona de fato uma imersão nesse universo criativo”.

Cada espacinho da casa estará ocupado. Dentro ou fora, não importa. Em qualquer canto nos deparamos com música, arte, gastronomia, natureza ou moda, levando o público a uma interação constante.

Em uma época de mega eventos, cercadinhos vip e web celeb’s, O Cluster aniquila a distinção e faz questão de agregar, juntar, misturar e valorizar pessoas interessantes e interessadas em conhecer, absorver e viver uma experiência criativa. Para isso, melhor lugar que uma casa na floresta não há de ter!

Participam do {mini} Cluster na floresta:

MODA
Anouk Bags: acessórios para bikes;
Benta: Design moda e decoração se encontram em lenços, roupas, biquínis e almofadas produzidos com estampas exclusivas e inusitadas;
Biombo: A Biombo faz uma roupa autoral, com acabamento e qualidade e, por ter criado uma linguagem própria de personalidade, vende pra mulheres que também têm personalidade marcante e estilo próprio;
Flow: A Flow é uma marca de acessórios que une o DNA mineiro de sua idealizadora, Laura Andrade, ao carioca. Diversos materiais são combinados para tornar os produtos únicos e interessantes: resina, acrílico e corda são misturados a metais e pedras. Para que se ajustem de maneira confortável ao corpo, elas são desenhadas de forma articulada, através de sobreposições e montagens;
Guarda: O grande diferencial da Guarda é não seguir o padrão tradicional de lançamento de coleção. A marca investe em uma coleção que vai se lançando aos poucos, com modelos novos a cada duas semanas. Novidade a todo instante;
Insecta Shoes: Proposta inovadora e moderna, sapatos veganos e artesanais, feitos com a reutilização de roupas vintage;
Lust: Marca feminina que investe em estampas exclusivas, onde a cliente pode encontrar desde peças básicas às mais trabalhadas. Tem como público mulheres que prezam pelo conforto e pelo estilo, além de seguirem as novidades da moda;
Mabô Joias: Explora pedras e materiais pouco usuais no ramo joalheiro através de um design consciente, que busca durabilidade e legitimidade. Todo o processo de confecção das peças é feito artesanalmente através de técnicas de ourivesaria e fundição por cera perdida. As inspirações são buscadas na arquitetura, em formas orgânicas fascinantes e também em viagens culturais ao redor do mundo;
Mash Up: roupas casuais com um toque de ‘noite’;
Mesclado: Faz arte em formato de roupa. Uma mescla de designers, fotógrafos, artistas plásticos e ilustradores, reúne o melhor talento de cada um para criar estampas de T-shirt;
Odde: A marca de tênis masculina surgiu de uma parceria de amigos de infância durante uma viagem ao Peru e não parou mais. Com peças diferenciadas a intenção é aguçar a curiosidade dos consumidore;
Quaint: Conforto e atitude que se expressam em peças masculinas inspiradas na cultura urbana;
Suia: Para a mulher elegante, usa apenas algodão, viscose e seda em suas criações;
Tucum: traz ao consumidor final produtos indígenas que busca por todo o país;
Velt: Marca masculina carioca de roupas e objetos de decoração. Fogem do clichê do calçadão e da praia. A proposta é desenvolver estilo e identidade ligados à arte, design, música e arquitetura;
You Do: Acessórios banhados em ouro branco, amarelo ou rose com cortes delicados e vazados. Alguns vêm acompanhadas de fios de seda para serem usadas como pingentes de colares ou pulseiras. Outras brincam com sobreposições, de cores e formas, dando vida aos anéis, pulseiras ou colares;

GASTRONOMIA
Amélia Gastrô: Um serviço de catering e encomendas feito com ingredientes fresquinhos, que oferece desde cafés da manhã em cestas decoradas a almoços e jantares pensados para poucos convidados. No Cluster apresentam seus saborosos e elaborados hambúrgueres e chips de batata baroa;
Baguel Store: A única loja de Baguel no Rio – o pão tradicional judaico com a mesma receita criada pela comunidade de NY. O pão é cozido em malte e depois assado, com oito sabores diferentes de baguel e mais de 15 recheios. O Cluster já ganhou um Baguel exclusivo – o “Beef Baguel” -, tradicional do bairro de Brick Lane, em Londres, com carne e mostarda Dijon;
Doce Predileto: Os produtos são feitos artesanalmente, de acordo com a demanda. Apenas ingredientes de primeira qualidade são usados, como o cacau em pó italiano;
L’eclair: O conceito gira em torno da pâte à choux, a massa do éclair. Revisitam receitas francesas, especialmente as do sul da França e combinam o recheio com a massa.O carro-chefe será sempre o doce, mas o salgado vem como estreante de novas ideias;
Namasté: Pratos tipicamente indianos mexem com os sentidos de quem experimenta os variados temperos e combinações do chefe Dhiraj Kotai;

ARTISTAS:
Chloé Le Prunennec – (tatuadora, faz pintura em aquarela, ao vivo): saiu de Paris com 21 anos para começar uma viagem ao redor do mundo, começando pela América do Sul. Durante os 3000 km à carona, aventuras entre florestas e altiplanos, na Patagônia e no deserto do Paraguai, ela registra seus encontros com bruxas, cobras, indígenas e palhaços através de esboços e textos no blog Les Chiens Noirs du Mexique. Em 2014, ao chegar ao Brasil, estas anotações e desenhos serviram de base para o livro Etoiles filantes e Amor Selvagem, exposição que realizou em Florianópolis. No Rio, participa de exposições com o colectivo És Uma Maluca, sendo uma das artistas selecionadas para a exposição ‘Em corpo ação’, na Galeria 80 em Copacabana. No caminho, Chloé foi transcrevendo seus desenhos para os muros e a pele. Seus pincéis e a máquina de tatuagem fazem florecer uma multidão de animais, plantas e personagens místicos de cores vivas. Com referências tão diversas como Degas, Basquiat, o tarô e o art brut (produzido por deficientes mentais), Chloé procura revelar na pele nossos mitos pessoais, com ocasos impressionistas e o olhar misterioso de figuras sem pupilas. Trabalha agora entre Botafogo e Vila Isabel, na Tatuaria Take It Easy.

Marcelo Eco – (grafiteiro, fará um livepainting no meio da floresta): Pioneiro do graffiti do Rio de Janeiro. Tem no currículo trabalhos para empresas como Sony, Volkswagen, Gatorade e Nike. Na área de cenografia, realizou trabalhos importantes em Clips Musicais e programas para diversas redes de TV. Já expôs na Art Paris, situado no Grand Palais (França), Galeria LCG (RJMadri/Espanha), WSA(Argentina), Museu de Arte Contemporânea (Mac Niterói, RJ), Espaço Constituição (RJ), Centro Cultural da Justiça Federal (RJ), Palácio do Catete (RJ), Cirque du Soleil – Quidam Tour e MuBE(SP).

Marcel Serrano – (designer gráfico, vai desenhar letras pelos cômodos da casa, o chamado ‘lettering’): Cursou Desenho Industrial na Escola de Belas Artes da UFRJ, e se formou pela Univercidade em 2011. Sempre desenhou nas paredes de casa, da rua, e em suas roupas. Acabou se especializando em estamparia, arte urbana, tipografia, e na criação de sistemas de comunicação visual para marcas;

É co-fundador da Mesclado, uma plataforma online de estampas focadas em arte, que envolve artistas de todo o Brasil.

DJ’S
Residentes: Ícaro dos Santos (Nuvem), Andrei Yurievitch (Manie Dansante) e Nado Leal
Convidados: Penoni (Rebola), Bruno Eppinghaus ( SerHurbano)
Ação especial: ‘Jukebox O Cluster’ em parceria com a Rdio; o público escolhe as músicas e a gente toca.

Serviço:

{mini} Cluster na floresta
Local: Estrada das Canoas 1580
Data: 27 e 28/06 – sábado e domingo
Horário: 13h às 21h
Classificação livre
Entrada gratuita
Assessoria de imprensa: SuperBoom – [email protected] – 99328 4771 (Julia Ryff)
Não há estacionamento no local
Haverá van saindo de São Conrado; parceria com a Uber. Mais infos: facebook.com/ocluster

644460_824341807658671_4979089735888967321_n

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.