Meteora : a cidade dos Monastérios na Grécia - MISTURA URBANA

Meteora : a cidade dos Monastérios na Grécia

foto-12

Tive a oportunidade de visitar recentemente um lugar que podemos chamar de especial. Meteora,(em grego: Μετέωρα, “meio do céu”) fica localizada na Grécia central, cerca de 4 horas de Atenas. É lá que observamos os monastérios, no alto dos pilares, encoberto por nuvens. E a definição “meio do céu” é certa, parece que você está entre as nuvens realmente.

Meteora é um dos mais importantes complexos de monastérios do Cristiniano Oriental. Os mosteiros foram construídos sobre pilares de rocha de arenito, na região noroeste da Tessália, próximo ao rio Peneu e às montanhas Pindo. Há mosteiros localizados há 549 metros de altura em uma paisagem incrível.

foto-4

foto-6

foto-7

Há pouco mais de seiscentos anos, um monge da península do Monte Athos fundou no noroeste da Tessália o primeiro mosteiro. O penhasco sobre o qual se alçou o retiro ortodoxo passou a ser conhecido por “meteoros”, que em grego significa “suspenso no ar”. Durante os séculos posteriores, foram edificados nesta região da Grécia mais de vinte mosteiros, dos quais cinco sobrevivem habitados.

A história conta que essas imensas rochas vieram com diversos terremotos na região, apoiadas pela junção de água e esculpidas pelo vento, há cerca de 25 milhões de anos, através de movimentos tectônicos. Os primeiros eremitas que chegaram nessa área vinham atrás de isolamento espiritual, se estabeleceram em cavernas no século XI. Assim, unidos pela fé religiosa, foram formando as primeiras comunidades monásticas. A fé foi movendo-os e as construções gigantescas de valor arquitetônico e artístico surgindo.

São 24 monastérios que se formaram entre os séculos 14 e 16. Os monastérios eram o centro Ortodoxo na Era Bizantina, que produziam algumas das melhores peças de arte religiosas, além de coleções de manuscritos, que hoje estão nos museus. Meteora é patrimônio tombado pela Unesco, e é tida oficialmente como uma zona protegida ambientalmente, pela sua riqueza de fauna e flora.

foto-8

foto-9

foto-10

foto-11

Os monges eremitas, procurando um refúgio seguro à ocupação otomana, encontraram nos rochedos inacessíveis de Meteora um refúgio ideal. Alguns mosteiros que podem ser visitados: Megálos Metéoros (Grande Meteoro ou Mosteiro da Transfiguração), Varlaam, Ágios Stéphanos (Santo Estêvão), Ágia Tríada (Santíssima Trindade), São Nicolau Anapausas e Roussanou.
O acesso aos mosteiros antigamente era feito por guindastes e apenas em 1920 foram construídas escadas de acesso. Até hoje podemos ver como eram utilizados os meios de subida e descida. Dos seis mosteiros, cinco são masculinos e um é feminino.

Caminhar entre os monastérios e admirar paisagens tão deslumbrantes, faz de Meteora um lugar único, desbravar os caminhos, envolto por montanhas é ter a certeza de estar mais perto do céu. Para se chegar aos mosteiros você pode ir de carro, e assim caminhar. A cidade mais próxima é Kalabaka que oferece toda estrutura aos turistas, como hotéis e restaurantes.

Para as mulheres que visitam os espaços, não é permitido a entrada com shorts curtos ou calças muito justas, mas não se preocupe, em cada entrada de monastério há saias longas à disposição para você colocar por cima de sua roupa. Uma vez na região, aproveite para conhecer os povoados que estão próximos como Kastrak.

Meteora é um desses lugares que te proporcionam paz, meditação e contemplação, e posso dizer, que estando há quase dois meses na Grécia; que esse país me surpreende a cada dia com sua diversidade de beleza e de história.

Para saber mais e organizar sua viagem, aqui.

IMG_3187

*Todas as fotos são de arquivo pessoal

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

 

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *