Costumes de ano novo pelo mundo - MISTURA URBANA

Costumes de ano novo pelo mundo

O ano vai se despedindo e dando espaço para um novo ano que vem aí. De músicas tradicionais à comidas, passando por festas, bebedeiras, rituais na praia e muito mais, o fato é que a virada do ano traz também além do sentimento de mudança de ciclo, de vida, de metas, de objetivos, uma esperança a mais. De ter pela frente 365 dias para fazer diferente, mudar o que não gosta, deixar para trás o que já não serve mais.

E o mundo todo comemora de um jeito ou de outro a chegada de um novo tempo. Vamos dar a volta ao mundo!

Alemanha

Comer fondue com os amigos é muito popular. À meia-noite, o ápice: além dos fogos de artifício, estouram-se rolhas de espumante. As pessoas se abraçam, com votos mútuos de saúde e felicidade. Entre os costumes está o derretimento de chumbo numa bacia com água. As figuras formadas permitem olhar o futuro. E a maior festa de rua acontece em Berlim, no Portão de Brandemburgo.

0,,18084970_303,00

Espanha

À meia-noite, 12 uvas: na noite de réveillon, as 12 badaladas de uma torre de relógio na praça Puerta Del Sol, em Madri, são transmitidas pela TV para todo o país. A cada batida, as pessoas comem uma uva. Cada uma delas representa um desejo para o Ano Novo. Isso é para trazer sorte. Para os mais idosos, em algumas regiões, uvas são servidas já ao meio-dia.

0,,18084965_303,00

Austrália

Sempre belo: o espetáculo pirotécnico na Baía de Sydney. Os moradores da cidade podem admirar o show até mesmo duas vezes: uma às 21h e outra à meia-noite. No Quinto Continente, são obrigatórios no Ano Novo: praia, churrasco com amigos e a queima de fogos sobre a Ponte da Baía de Sydney.

0,,18084962_303,00

Estados Unidos

No sul dos EUA, é costume comer lentilhas no Ano Novo. Como se parecem um pouco com moedas, as lentilhas prometem sorte e dinheiro. Em todo o país, o novo ano é recebido com pomposas queimas de fogos. O destaque absoluto é a celebração na Times Square, em Nova York: estrelas e estrelinhas do mundo dos espetáculos garantem o bom humor.

0,,18084959_303,00

Rússia

No último dia do ano tem início um período festivo de dez dias. Na véspera de Ano Novo, são distribuídos presentes. Todo o país celebra as festas da árvore (“yolka”). As famílias se reúnem e ceiam em torno de um pinheiro. Após o discurso presidencial na TV, um brinde é oferecido ao novo ano. A celebração também acontece do lá de fora, como aqui em Moscou, na Praça Vermelha.

0,,18084957_303,00

Reino Unido

São poucos os súditos da rainha que soltam fogos de artifício. Mas é claro que a queima organizada de fogos também acontece no Reino Unido. A maior delas ocorre na roda-gigante London Eye. Lá, milhares de pessoas se reúnem para admirar o espetáculo de luzes. O show também é transmitido ao vivo pela TV.

0,,18084955_303,00

Bulgária

Aqui tapinhas nas costas anunciam o novo ano – segundo a tradição, eles trazem saúde e riqueza. As crianças vão de casa em casa e batem nas costas dos moradores. Na ocasião, elas lhes desejam um ano cheio de saúde, felicidade e dinheiro. No primeiro dia do ano, os búlgaros expulsam os maus espíritos. Os chamados “Kukeri”, homens vestidos de monstros, dançam e espantam vampiros.

0,,18084951_303,00

África do Sul

No Cabo da Boa Esperança, um carnaval marca a entrada no novo ano. Como aqui, nas ruas de Johanesburgo, milhares festejam na noite de réveillon. O destaque é o desfile de grupos carnavalescos, com muitos tambores, pelas ruas da Cidade do Cabo, no dia 2 de janeiro. O espetáculo remonta ao Dia da Emancipação, em que os escravos foram libertados na África do Sul, em 1830.

0,,18084956_303,00

Holanda

No réveillon holandês, a queima de fogos já começa às 10h e dura o dia todo. É um ritual de Ano Novo para afastar os maus espíritos. Bastante popular é a chamada queima de carbureto. Numa jarra de leite são adicionados carbureto e água. O resultado é uma mistura explosiva que, ao ser inflamada, pode catapultar a tampa da jarra, que pode ser uma bola, até 70 metros de distância.

0,,18084953_303,00

Japão

Antes do réveillon, acontece a grande faxina de Ano Novo: a casa deve ficar limpinha. Na virada do ano são servidos “mochis”. Esses bolinhos de arroz prometem sorte e vida longa. Depois da meia-noite, seguem-se 108 batidas de relógio, que os japoneses utilizam para afastar 108 males. Muito popular no início do ano é também o jogo de bola conhecido como “kemari”, praticado usando-se quimonos.

0,,18084946_303,00

França

A queima de fogos não é tradição na França. Na maior parte do país, a noite de réveillon transcorre tranquila. Muitos franceses se encontram com amigos e parentes somente para jantar. Em vezes de fogos e foguetes, o Ano Novo é celebrado geralmente com champanha, patê de fígado de ganso ou ostras. Nas regiões costeiras, o banho de mar de Ano Novo é um ritual popular e muito divertido.

0,,18084950_303,00

Grécia

Também na Grécia, os fogos de artifício não são muito difundidos. Em vez disso, as famílias jogam cartas e outros jogos de azar. A regra é: quem ganhar vai ter sorte o ano todo. O dia 6 de janeiro também traz um interessante costume: os fiéis celebram o batismo de Jesus com um mergulho n’água. Esse ritual também serve para afastar demônios.

0,,18085487_303,00

Itália

Em Roma, concertos ao ar livre são muito populares na véspera do Ano Novo. Um “must” é o uso de roupas de baixo vermelhas. Quem quiser ter sucesso e ser feliz tem que usar calcinha ou cueca vermelha na passagem de ano. Tradicionalmente vêm à mesa joelho de porco e lentilhas: essa comida não muito leve traz sorte em assuntos financeiros, acreditam os adeptos.

0,,18084949_303,00

Brasil

No Brasil, uma das maiores festas de Ano Novo acontece em Copacabana, no Rio de Janeiro. Uma longa queima de fogos de artifício é acompanhada por mais de 1 milhão de pessoas na praia mais famosa dos cariocas. A queima de fogos é tradição em todo o país, assim como vestir roupas brancas, “estourar” uma champanha e, para alguns, pular sete ondas na beira do mar.

0,,17336246_303,00

via

 

Se cadastre no nosso MAILING e fique por dentro de tudo o que está rolando aqui!

 

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *