Zipper Galeria traz “Nobres sem Aristocracia: Projeto Vira-Latas Puros no 51" de Camila Soato - MISTURA URBANA

Zipper Galeria traz “Nobres sem Aristocracia: Projeto Vira-Latas Puros no 51″ de Camila Soato

camila2_1

A Zipper Galeria traz a partir de 07 de outubro de 2014, a exposição “Nobres sem Aristocracia: Projeto Vira-Latas Puros no 51”, individual da artista Camila Soato, sob curadoria de Paula Braga. Sua produção mistura o nobre com o popular, e finca alicerces nos interditos da sexualidade, nas coerções de gênero e na crueldade infantil.

A produção de Camila Soato flerta com humor situações esdrúxulas e momentos bizarros do universo popular, e mostra, através de uma narrativa maliciosa e muito bem construída, seu mergulho na profundidade do que parece corriqueiro.

Camila Soato segue sua pesquisa poética na pintura a óleo figurativa onde revela a potência do bruto a cada gesto: são pinceladas vivas, que guardam na textura a energia do instante, que escorrem, que fogem, que mancham, que borram.

Como um elogio ao contaminável, os fluidos que escorrem da pintura para a performance, para a fotografia, possivelmente também oriundos da escultura, vídeo, objeto, instalação, mesclam-se e geram combinações que se acrescentam, agregando valores poéticos, conceituais e estéticos, para além dos programados pela história ou qualquer método convencional.

As obras que compõem a exposição apontam para o conceito de fuleiragem, um fator de contaminação que conecta as lembranças de infância, memórias e vivências da artista à sua pesquisa, teórica e prática, circunscrevendo os rumos da sua produção.

Metaforicamente, o título Nobres sem Aristocracia: Projeto Vira-Latas Puros no 51, faz referência a cães vira-latas, recorrentes nas obras e na pesquisa da artista. Embora o cruzamento entre eles não obedeça a uma ordem, observa-se que após várias gerações os cães mestiços exibem características grosseiramente similares. Acredita- se que a aparência de um cão mestiço seja muito parecida com a de seus ancestrais Canis lupus familiaris, de onde as raças puras foram selecionadas.

Sensações inauditas. Secreções. Polifonia. Sobreposição de fragmentos cotidianos. Quase narrativas que podem carregar camadas e camadas de história e são compostas por diversos personagens e contextos. A contemporaneidade no trabalho da artista comporta um material infindável de elementos a serem combinados, sem hierarquias ou pressão de qualquer sistema fechado de catalogação.

Camila Soato

Sobre a artista:

Camila Soato tem 29 anos de idade a serem completados no dia 15 de agosto de 2014. Sem raça definida, é leão com ascendente em aquário e lua em leão, nasceu em Brasília, atualmente vive e trabalha em São Paulo e calça 38. É formada em Artes Visuais pela Universidade de Brasília, na qual também é mestre em Poéticas Contemporâneas pelo Programa de Pós Graduação em Artes. Ela trabalha com o Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos e pinta.

Com pinceladas expressivas e até mesmo com uma certa agressividade, combina imagens cômicas apropriadas do cotidiano banal, trabalha com o elogio ao descuido, assumindo o erro como índice poético. Escorridos, manchas e sujeiras, oriundos de um método de trabalho que privilegia o improviso, são protagonistas juntamente com personagens atrapalhados ou perversos, em cenas esdrúxulas. Tudo isso é justaposto a narrativas bizarras, como, por exemplo, dois animais de diferentes espécies copulando, ao mesmo tempo em que do outro lado da imagem existe um casal de russos católicos ortodoxos posando para uma foto tradicional.

Serviço

@ Zipper Galeria
Abertura: Terça-feira, 07 de outubro, das 19h às 22h

Período expositivo: de 08 de outubro a 10 de novembro de 2014
Rua Estados Unidos, 1494, São Paulo

Telefone: (11) 4306-4306

www.zippergaleria.com.br

Horário de funcionamento:
segunda a sexta das 10h às 19h,
sábados das 11h às 17h

Grátis/ Livre

CS

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *