Você já sabia? Ficar pelado é bom para a saúde! - MISTURA URBANA

Você já sabia? Ficar pelado é bom para a saúde!

nude-muse_harper_bpa_nude_censored064

Pense na primeira vez que sua mãe contou para você, que quando criança tirava toda a roupa, arrancava a fralda e saia correndo pela casa todo peladinho.

Por que deixamos de pensar e de nos sentir assim e começamos a misturar o naturismo com sexismo, hedonismo, sacanagem e outras restrições contra uma nudez saudável?

100_3900

Assim como é normal uma criança querer ficar pelada, pode ser também normal para você! Além disso, o nudismo traz muitos benefícios para a saúde. Vamos revê-los:

1. Benefícios psicológicos: A auto-aceitação é um problema muito grave em nossa sociedade, com os meios apresentando determinados tipos de corpo que são consideradas atraentes e contribuindo para problemas como a anorexia e a bulimia. Parece maluco ou contraditório  mas, ficar pelado, enfrenta estas situações porque promove uma maior aceitação do nosso corpo, reduz o stress, melhora a auto-estima e promove a superação de certos padrões de beleza. Pense como seria o “padrão” do corpo perfeito quando você esta em uma praia ou comunidade nudista, acompanhado de tipo de corpo e idades? Você acaba esquecendo todos esses preconceitos que danificam a visão de nós mesmos e que fazem que sintamos vergonha de estar um pouco acima do peso, ter muitos pelos ou achar que está branco demais.

2. Benefícios físicos: Estudos da Sydney Ross Singer e Soma Grismaijer mostram que a roupa pode causar problemas de saúde, restringindo o fluxo natural de sangue e prejudicando o sistema linfático, que é responsável pela eliminação de toxinas causadoras de câncer. Por exemplo, as mulheres que usam sutiã mais de doze horas por dia, têm 21 vezes mais chances de desenvolver câncer de mama do que aquelas que usam menos de 12 horas por dia. O mesmo acontece com o uso de cueca apertada ou da calcinha, que às vezes ajuda o crescimento de bactérias na região.

3. Benefícios sociais: A nudez promove certa igualdade social, onde ninguém pode ser julgado pela forma do corpo, os cabelos ou o preço da sua bolsa. A nudez gera sentimentos de unidade com os outros e uma interação social mais relaxada, onde as pessoas começam a se relacionar com os outros em base a suas qualidades e não sua aparência.

Se você quer tentar como é essa sensação de liberdade, sentindo a água e o ar em torno de seu corpo, o que recomendo é planejar suas próximas férias na praia de Abricó (zona oeste do Rio de Janeiro), Praia Do Pinho (Santa Catarina), Praia de Tambaba (Paraíba), Massarandupió (Bahia) ou Praia Brava (São Paulo), as praias nudistas mais famosas do Brasil.

E, além disso, chega de pensamentos nudófobos, tais como “se fico nu, o mundo inteiro estará olhando para mim” ou “estar nu é estar vulnerável. Se não tenho nenhuma roupa para esconder eventuais imperfeições, o que faço?”.

Como sempre, para se sentir bem e saudável, o melhor é “se soltar mais”, sem pensar em condicionamentos sociais!

Comments

comments

1 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. […] aqui,  editora […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *