Conheça o projeto cultural ALira - Poemas que enCantam - MISTURA URBANA

Conheça o projeto cultural ALira – Poemas que enCantam

unnamed

Eu sempre gostei de poesia que fala de amor, da vida, ou de qualquer outro assunto. Acho interessante como os versos se unem e se combinam, daí me deparei com o projeto “ALira”, que mistura poesia e música, e que tem como objetivo principal valorizar a literatura e a música brasileira, as poesias e os poetas nacionais.

O intuito é fazer com que os versos sejam tocados e cantados assim como afirma o slogan do projeto “ALira: POEMAS que enCANTAM”. Dessa maneira, o projeto irá apresentar em forma de canções as poesias mais conhecidas dos poetas Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Mário Quintana, Manuel Bandeira, Ferreira Gullar, Gonçalves Dias, Casimiro de Abreu, entre outros.

“Digo que os poemas serão ‘musicalizados’, tendo como principais referências os gêneros musicais: MPB, Pop, Reggae e Folk. A ideia é fazer canções poéticas populares, simples e fáceis de serem tocadas, cantadas e apreciadas por quem ouvir” – explica Rafael Clodomiro, compositor e autor do projeto, que fala mais sobre a iniciativa neste vídeo de apresentação do projeto:

Poesia e música se misturam. A interação entre essas duas artes é algo praticamente inevitável. Há sempre um pouco de poesia na música e um pouco de música na poesia. Inclusive, a letra de uma música lida (sem ser tocada e cantada) compara-se a um texto poético. As semelhanças da poesia com a música são evidentes: a estrutura em versos e estrofes, as rimas, o ritmo exposto pelos sons das palavras, etc.

Desde a Antiguidade Clássica, a poesia já era declamada e acompanhada por instrumentos musicais. Ou seja, não é de hoje que essa aproximação da arte poética com a arte musical se estabelece. E, atualmente, o projeto ALira, ciente dessa íntima relação da poesia com a música, pretende evidenciar ainda mais essa conexão artística ao musicar poemas famosos de autores brasileiros.

unnamed-1

E o primeiro passo do projeto é gravar uma canção poética do poema “José” de Carlos Drummond de Andrade (poema que exalta a conhecida expressão “E agora, José?”) e fazer um videoclipe em animação 3D desta mesma música. Sendo assim, a “ALira” foi inscrita no Catarse, site de financiamento coletivo de projetos, para receber ajuda daqueles que apoiam essa iniciativa cultural.

No presente momento, a “ALira” ainda é um projeto escrito no papel, mas que deseja muito nascer e ser realizado. Tudo que foi dito acima é o que se pretende fazer: gravar canções poéticas e produzir videoclipes.

Vale destacar que o projeto é atento com o pagamento dos direitos autorais (o primeiro passo contempla o pagamento aos titulares de direitos autorais de Carlos Drummond de Andrade), considerando que a intenção é que tudo seja executado em perfeita harmonia poética, musical e legal, conforme a Lei de Direitos Autorais.

Quem colaborar com o projeto irá ganhar recompensas e brindes exclusivos com a marca “ALira”. E essa é dinâmica do site de financiamento coletivo onde o projeto ALira está cadastrado, ninguém sai perdendo, e se por acaso até o dia 13 de setembro (data final da arrecadação) não for atingido a meta pretendida do projeto, quem contribuiu recebe o seu dinheiro de volta.

Curtiu?

Para apoiar o projeto aqui.
Para saber mais aqui e aqui.

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *