Britânico viaja por 201 países sem usar avião - MISTURA URBANA

Britânico viaja por 201 países sem usar avião

Graham Hughes from Liverpool in the Unit

É isso mesmo que você leu no título desse post. Grahan Hughes de 33 anos, um britânico que ama viajar, mas sem usar o avião, tornou-se a primeira pessoa a visitar 201 países “around the world”, utilizando outros meios de transportes, como ônibus, táxis, trens e claro seus pés.

No total, foram 160 mil milhas percorridas em 1.426 dias, gastando cerca de US$ 100 por semana. Essa jornada começou em 2009 em Liverpool, sua cidade natal. Durante essa trip, Grahan passou por diversos perrengues, como ter passado quatro dias em um barco furado para alcançar Cabo Verde, foi preso por uma semana no Congo e foi salvo de fundamentalistas muçulmanos por um filipino.

article-2239087-163B24CD000005DC-8_634x395

Além das muitas histórias que aconteceram durante essa longa caminhada, Grahan também teve que lutar contra a dor de perder sua irmã Nicole, que morreu de câncer. Mas, mesmo com uma notícia triste como essa, ele não desistiu da viagem e diz que sempre manteve os pés firmementes no chão.

Esse aventureiro viajou até 2012, e o término da sua jornada épica de quatro anos foi atravessando Juba, a capital do Sudão. Sobre essa experiência ele diz: “Eu amo viajar, e eu acho que a minha razão para fazer isso, era que eu queria ver se isso poderia ser feito, por uma pessoa que viaja com pouco dinheiro. Eu acho que eu também queria mostrar que o mundo não é um lugar grande, assustador, mas que na verdade está cheio de pessoas que querem ajudá-lo, mesmo se você é um estranho.”

article-2239087-163C0EE6000005DC-413_634x422

Ele atravessou as fronteiras de todos os 193 membros das Nações Unidas, mais Taiwan, Cidade do Vaticano, Palestina, Kosovo, Saara Ocidental e os quatro países de origem do Reino Unido – tudo sem voar. O livro oficial dos recordes, o Guinness confirmou que ele alcançou o recorde mundial para a maioria dos países visitados em um ano, por transporte terrestre regular.

Mesmo estando em 2014, até hoje sua história ecoa pelo mundo e é atemporal, o britânico afirmou ainda que essa trajetória só foi possível porque recebeu muita ajuda pelo meio do caminho. “O sentimento principal hoje é apenas de uma intensa gratidão a todas as pessoas ao redor do mundo que me ajudaram a chegar até aqui, por me dar uma carona, me deixar ficar em seu sofá, ou me apontar na direção certa”, acrescentou Hughes.

article-2239087-163C9432000005DC-457_634x380

Serve para nos inspirar! De nada adianta ter dinheiro se não temos vontade, talvez com menos dinheiro e mais vontade tenhamos mais criatividade e nos arrisquemos mais. Para mim, viajar é a melhor coisa do mundo.

Mais sobre sua jornada aqui.

via

Comments

comments

Natt Naville

Natt Naville

Veja todos os posts

Natt Naville é jornalista e gosta de tudo que envolve o universo da comunicação. Entre palavras e histórias: Música. Música para tocar, para ouvir e dançar. Editora do Mistura Urbana, gosta de criar, recriar e se reinventar. Vive no paraíso azul da Grécia.

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *