"Street Photography" As fotografias de Vivian Maier nos anos 50. - MISTURA URBANA

“Street Photography” As fotografias de Vivian Maier nos anos 50.

Self-Portrait, 1955

Vivian Maier a babá fotógrafa, impressionou o mundo com sua arte responsável por gravar imagens urbanas na segunda metade do século XX, em seus momentos de lazer Vivian tirava fotos em que ela zelosamente se escondia dos olhos dos outros para retratá-los. Deixou após sua morte mais de 100.000 negativos.

1959, Grenoble, France

Além disso, a paixão por documentar se estendia à uma série de vídeos caseiros e gravações de áudio. Pedaços interessantes da América como a demolição de marcos históricos, a vida invisível de vários grupos de pessoas e os indigentes, bem como alguns locais, foram todos meticulosamente catalogados por Vivian Maier.

Só em 2007, que seu trabalho foi descoberto em uma casa de leilões em Chicago North West Side, com meios escassos, as fotografias armazenadas da artista tornaram-se memórias perdidas, até que foram vendidas devido à falta de pagamento do aluguel. Os negativos foram leiloados pela empresa de armazenamento, um dos compradores inclui John Maloof, responsável por colocar na mídia o trabalho de Vivian. Agora, com cerca de 90% de seu arquivo reconstruído, o trabalho de Vivian faz parte de um renascimento do interesse na arte da fotografia de rua.

1953, New York.
18 de março de 1955, New York.
New York
New York
New York
Audrey Hepburn at the Chicago premiere of “My Fair Lady” 23 de outubro1964
1963, Chicago.
22 de agosto de 1956, Chicago
Junho de 1954, New York,

Vivian Maier nasceu em Nova Iorque no dia 01 de fevereiro de 1926 e morreu em 21 de abril de 2009, foi na França que Maier passou a maior parte de sua juventude, voltou para os EUA em 1951, onde assumiu o trabalho como babá e cuidadora.

Em 1949, ainda na França, Vivian começou a fazer suas primeiras fotos com uma câmera Kodak Brownie amadora, com apenas uma velocidade de obturador, sem controle de foco e sem marcação de abertura. Em 1952, comprou uma câmera Rolleiflex e só em 1956, quando se mudou para Chicago se deu ao luxo de uma Câmara Escura que permitiu a ela processar suas gravuras e desenvolver seus próprios rolos de B & W filme. Em seguida, Maier decidiu mudar para fotografia a cores,  em sua maioria clicava com filme de 35mm Kodak Ektachrome , usando uma Leica IIIc e várias câmeras SLR alemãs.

New York
New York
1955, New York

Ela nunca se casou, não teve filhos, nem quaisquer amigos muito próximos em um nível pessoal. Com uma câmera em torno de seu pescoço saia de casa obcecada em tirar fotos, mas nunca mostrou suas imagens a ninguém. Não se sabe também como ela aprendeu a fotografar e a revelar os milhares de rolos de filmes no banheiro.

As fotos de Maier trazem uma afinidade com os pobres, sem dúvida por causa de um parentesco emocional que sentia com aqueles que lutam para sobreviver. Em um de seus vídeos Vivian fala sobre a fotografia e arte que pode ser visto no youtube  “Nós temos que abrir espaço para outras pessoas. É uma roda – você começa, você vai até o fim, e outra pessoa tem a mesma oportunidade de ir até o fim, e assim sucessivamente outra pessoa toma o seu lugar. “

Setembro de 1966
1953, New York
Setembro de 1953, New York
26 de setembro de 1954, New York
1963, Florida
27de junho de 1959, Asia
1950, Chicago

 

https://www.youtube.com/user/vivianmaierphoto

http://www.vivianmaier.com

 

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *