Artista cria diversas AK-47 feitas com pedras e miçangas - MISTURA URBANA

Artista cria diversas AK-47 feitas com pedras e miçangas

zimanphotography

Ralph Ziman nasceu em Johannesburg, África do Sul. O artista já dirigiu mais de 400 vídeos para artistas como Ozzy Osbourne, Rod Stewart, Michael Jackson, Shania Twain, entre outros. Apesar de já ter sido diversas vezes premiado por seu trabalho como escritor, diretor e produtor, recentemente, é outro tipo de trampo do cara que tem chamado a atenção.

Ralph mais de um ano colaborando com vendedores de rua de Johannesburg para criar réplicas da AK-47 todas feitas de pedrinhas e miçangas. O trampo virou “GHOST”, uma série fotográfica ousada, que desafia a venda de armas, com os vendedores posando com as armas criadas por eles.

Para este trabalho, Ralph não deu nenhuma direção para os vendedores sobre como posar com as armas e ele conta que analisando as imagens, a pose que cada um escolheu para a foto revela a forma como se sentem com relação às armas. Alguns seguram-as no alto, outros parecem estar mais relaxados mas nenhum parece estar se sentindo fraco ou desconfortável. É o poder que uma arma dá para uma pessoa.

Sobre a série, Ralph Ziman comenta em entrevista: Passando um tempo em Johannesburg eu fiquei, como todo mundo, horrorizado com o crime e a proliferação de armas. A facilidade com a qual elas podem ser adquiridas e a fascinação que a cultura tem com armas em geral e a AK-47 em específico. Seu som, sua aparência. Eu queria desafiar essas percepções e encontrar uma forma de explorar o assunto. Eu queria saber quem estava mandando essas armas para a África. Eu queria criar armas não letais na África e mandá-las para o oeste. Então, fiz diversas armas com pedinhas e miçangas e enviei todas dentro de um container para os Estados Unidos.

Confira imagens!

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *