Série fotográfica Fé que Nunca Acaba retrata religiões - MISTURA URBANA

Série fotográfica Fé que Nunca Acaba retrata religiões

ec9f36570d846701d2365755a4d3562f

O fotógrafo Taylor Ponto conta que o projeto Fé que nunca acaba surgiu quando decidiu recobrar algo que havia se extinguido dentro de si. Sendo assim, ignorou a ciência e foi em busca daquilo que o homem não sabe explicar, apenas sentir.

Isso serve para pessoas espiritualizadas, religiosas, agnósticas ou até mesmo ateias. Existem coisas que ninguém explica. Seja a certeza de que existe um deus, uma força superior ou até mesmo nada.

Taylor não é adepto de nenhuma religião, mas é aquele tipo de pessoa que crê em uma força maior a sua maneira. Não é difícil encontrar pessoas que, seja por uma devoção cega à ciência ou devoção cega à ignorância ou devoção cega à arrogância, adoram dar aquela criticada feroz na religião, associando a fé à ignorância.

Essa que vos escreve, não se remove 100% da generalização feita acima. Algumas boas vezes eu mesma abri a boca para falar algo contra religiões lavagem cerebral e escândalos envolvendo alguns líderes religiosos que sabe-se la por que, mesmo sendo descaradamente charlatões e aproveitadores, mantém seu fiel séquito. Talvez seja por que, e assim voltamos então para o que Taylor Ponto falou pra gente em uma conversa: “o homem não sabe explicar, apenas sentir“.

Através de seu projeto, ele pretende demonstrar que nem todo ser que crê numa força superior desconhece a ciência e/ou está ali pelas regras que outros homens determinaram; está ali por, acima de qualquer coisa, acreditar numa força superior, à sua maneira.

Fé que não acaba nunca é uma série em andamento e as duas primeiras religiões retratadas pelo fotógrafo foram a umbanda e a católica. Ainda aguardamos pelas próximas que devem chegar em breve: kardecismo, candomblé e budismo.

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *