Campanha Graffiti Pelo Fim da Violência Doméstica - MISTURA URBANA

Campanha Graffiti Pelo Fim da Violência Doméstica

ScreenShot008

Acontece no dia 13 de novembro, o lançamento da Campanha Graffiti Pelo Fim da Violência Doméstica, na Escola Estadual Nação Mangueirense. Será a primeira vez que a escola, que tem quase mil alunos, receberá uma atividade com graffiti. Na solenidade estarão presentes, a presidente da Rede Nami, a artista plástica e grafiteira Panmela Castro, a embaixatriz do Instituto Avon, a atriz Luiza Brunet, e autoridades da Secretaria de Educação do Estado.

A oficina se dará em torno do tema fim da violência doméstica e da promoção da Lei Maria da Penha. Baseada na metodologia desenvolvida pela Rede para tratar a temática em questão, uma equipe da Campanha Graffiti Pelo Fim da Violência Doméstica formada pela oficineira-chefe, a monitora e uma representante do Centro Integrado de Atendimento à Mulher (Ciam) que promoverá o encontro.

Os alunos participarão da oficina em dois momentos. No primeiro, o evento terá início com a aplicação do formulário de pesquisa da campanha com o objetivo de entender e registrar a percepção dos alunos em relação a violência doméstica. Após a aplicação da pesquisa, será exibido um vídeo-debate que apresenta uma situação de violência doméstica. O filme chamado “De Sainha” expõe uma discussão, aparentemente banal, entre um casal de namorados, a respeito das vestimentas da mulher. O vídeo será o pontapé para o diálogo entre a equipe e os alunos. Nessa conversa serão elucidadas questões sobre violência doméstica, violência contra a mulher, Lei Maria da Penha, Disque 180, Delegacia da Mulher e outros assuntos pertinentes à pauta.

Já no segundo momento, os alunos serão conduzidos ao espaço destinado para a pintura e poderão, juntos à oficineira-chefe, elaborar o que será retratado no mural. A ideia é que ocorra uma livre discussão a partir do que foi debatido e assimilado em sala. Após a conclusão do que será desenhado, os alunos começarão a trabalhar no painel, desenhando e pintando os elementos combinados. Nesse momento tanto a oficineira-chefe quanto a monitora darão suporte, repassando técnicas de pintura e graffiti e auxiliando os alunos.

A diretora adjunta da escola, Ana Lúcia Blanc acredita que a introdução do graffiti como modo de expressão artística entre os alunos ajudará no combate às pichações que surgem no entorno da escola. “Nossa expectativa é muito grande e positiva, pois será a primeira vez que os alunos farão uma atividade com o graffiti e sabemos que essa ferramenta causa grande empatia entre os jovens, como forma de expressão e como forma de arte”. A escola funciona em três turnos e tem em 90% da sua demanda, alunos do ensino médio, com idade entre 15 e 18 anos.

SERVIÇO:
OFICINA INAUGURAL CAMPANHA GRAFFITI PELO FIM DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Quarta, 13 de novembro de 2013
13h
CIEP NAÇÃO MANGUEIRENSE
R. Santos Melo, 73 – São Francisco Xavier – próximo à Vila Olímpica da Mangueira
Telefone para contato da produção da Campanha – 7728 9996 (Ana)

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com

1 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. […] “Nossa expectativa é muito grande e positiva, pois será a primeira vez que os alunos farão uma atividade com o graffiti e sabemos que essa ferramenta causa grande empatia entre os jovens, como forma de expressão e como forma de arte”, comentou a diretora adjunta da escola, Ana Lúcia Blanc, ao Mistura Urbana. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *