Projeto Asylum - o corpo como forma de auto exílio (NSFW) - MISTURA URBANA

Projeto Asylum – o corpo como forma de auto exílio (NSFW)

asylumbook

O projeto “Asylum“, de Alexander Kargaltsev, explora não apenas as imagens mas as vidas de modelos gays russos que abandonaram seu país e pediram asilo nos Estados Unidos em razão da sua orientação sexual. A exposição aconteceu em outubro de 2012 na 287 Spring Gallery, em Nova York.

Nas fotografias os rapazes aparecem completamente nus em pontos famosos de Nova York como o Central Park e o Brooklyn. O corpo como uma forma de auto exílio, ou auto censura, é uma das propostas exploradas pelas imagens. O trabalho é uma resposta ao recente aumento da homofobia na Rússia e o artista consegue demonstrar o lado humano do problema em face à enorme, dolorosa e complexa natureza da homofobia patrocinada pelo Estado.

“A nudez dos modelos é um posicionamento visual poderoso, embutido de simbolismo. Eles não estão despidos mas nus, pois tiveram coragem de se desfazer de muitas camadas de medo e surgir ao mundo sem cobertura, vulneráveis, mas ainda assim com orgulho”, descreve o curador Ivan Savvine. O projeto transformou as fotos em um catálogo disponível para venda, o Asylum Book.

Asylum4 Asylum3 Asylum2 Asylum1

Desde o colapso da União Soviética – quando a homossexualidade era considerada crime – surgiu um tempo de esperança e desilusão para os gays e lésbicas russos. Por um momento parecia que os cidadãos LGBT da Federação Russa seriam finalmente vistos e livres da perseguição patrocinada pelo Estado, no entanto foram esmagados na última década. Vários relatórios indicam que as pessoas LGBT que vivem na Rússia de hoje enfrentam ameaças diárias de violência e intimidação, enquanto a discriminação no local de trabalho, moradia e até mesmo o acesso aos cuidados de saúde é onipresente. Em vez de proteger os seus cidadãos, o governo adotou uma política de silêncio: ignora o problema ou incentiva o ódio e a intolerância das minorias sexuais na sociedade.

Em 1991, quando a Rússia abriu as suas fronteiras, um grande número de indivíduos LGBT não tinha outra escolha a não ser fugir do abuso e maus tratos nas mãos de seus concidadãos e das autoridades, especialmente a polícia. Muitos requerentes de asilo procuraram refúgio nos países da Europa Ocidental e os Estados Unidos. A série de Kargaltsev apresenta apenas algumas dessas histórias trágicas, mas inspiradoras, que talvez nunca teriam a chance de serem contadas.

Estranhamente, o projeto Asylum foi parcialmente patrocinado por uma organização russa, mesmo que nunca poderia ser mostrado no país.

Pop up da exposição na Antuérpia, Bélgica
Pop up da exposição na Antuérpia, Bélgica

O livro foi lançado há quase um ano mas resolvi destacá-lo agora diante das imagens chocantes e cruéis que circularam na internet recentemente, de gays sendo torturados na Rússia por grupos neo-nazistas. Comportamento que conta com o aval do governo de Vladimir Putin que tem se manifestado cada vez mais a favor da homofobia institucionalizada através de leis contrárias aos direitos civis de cidadãos homoafetivos. Uma dessas leis proibe a adoção de crianças russas por casais homoafetivos (e revoga acordos já firmados de adoção com países que aprovara o casamento civil igualitário). Uma outra lei proibe a “propaganda das relações sexuais não-tradicionais” entre menores, que também prevê punição para pessoa estrangeira ou turistas com suspeita de ser homossexual ou a favor dos movimentos LGBTT, que podem ser presas e deportadas.

Manifestações em todo o mundo denunciaram a escalada de ódio aos gays na Rússia e ativistas se manifestaram em frente ao consulado russo em Nova York. O site BuzzFeed reuniu imagens de violentos ataques da polícia russa contra manifestantes em São Petersburgo e Moscou.

*O autor das imagens, Alexander Kargaltsev é um artista, escritor, fotógrafo, ator e diretor de cinema nascido em Moscou e radicado em Nova York. Seus filmes e imagens tem uma linguagem individual, de imaginação refinada, focados na fantasia e na beleza das formas. Kargaltsev já é um artista maduro com uma técnica consumada e confiante.

 

Comments

comments

1 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. […] já havia se tornado conhecido em 2012 por seu ensaio fotográfico Asylum, em que fotografou refugiados gays russos em Nova York, em nu frontal. Confira alguns dos trabalhos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *