Do armário para a passarela - MISTURA URBANA

Do armário para a passarela

queer1
Nesta semana (13) foi inaugurada a mostra A Queer History of Fashion: From the Closet to the Catwalk (Uma História Bicha da Moda: do armário para as passarelas) no museu do FIT (Fashion Institute of Tecnology), uma das mais importantes escolas de moda do mundo, em Nova York. O objetivo da exposição é explorar as contribuições significativas para a moda nos últimos 300 anos feitas por profissionais gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros antes e depois da Revolta de Stonewall, quando o mundo descobriu a identidade gay e as demandas da comunidade LGBT.

queer4
Os estudos demonstraram que por volta de 1700, os homens que amavam outros homens foram pioneiros em desafiar papéis sexuais e de gênero. Com base nesta pesquisa foi organizada uma exposição em ordem cronológica que apresenta desde os estilos de moda masculina do século 18 associados com uma subcultura gay emergente, quando crossdressers e afetados causaram polêmicas, à alta moda do século 21. A mostra contará com cerca de 100 looks de estilistas assumidos, entre ele Jean Paul Gautier, Yves Saint Laurent, Gianni Versace, Alexander McQueen, Cristóbal Balenciaga e Christian Dior, destacando a androginia, idealismo e rompimento de padrões da época.

queer3
queer2

“É sobre honrar os designers gays e lésbicas do passado e do presente” – Fred Dennis, curador sênior de vestuário.

queer5

Paralelamente, será realizado um simpósio em novembro sobre o tema, o lançamento de um livro sobre moda gay publicado pela Yale University Press e assinado por diversos autores teóricos importantes. Um circuito de palestras e um site educativo completam a programação da mostra apoiada pelo Conselho de Diversidade do FIT.

“Temos esperança que esta exibição transforme o nosso entendimento da história da moda. Por muitos anos, gays e lésbicas foram escondidos na história. Pelo conhecimento da influência dos designers gays e enfatizando o papel importante que moda e estilo fazem na comunidade LGBT, nós vemos o quão central a cultura gay tem sido para a criação da moda moderna” – Valerie Steele, diretora e curadora chefe do museu da FIT.

A exposição vai até janeiro.

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *