O MAR NAS NUVENS - MISTURA URBANA

O MAR NAS NUVENS

kelvin-helmholtz-clouds-3[7]
Kelvin-Helmholtz

A nuvem tem o nome de Lord Kelvin e Hermann von Helmholtz que estudaram esse fenômeno, ele foi descrito pela primeira vez no século XIX por Kelvin (1824-1907), físico escocês, e Helmholtz (1821-1894), físico alemão. As ondas de Kelvin-Helmholtz são bastante comuns na troposfera superior, mas geralmente não há umidade suficiente presente para gerar nuvens e tornar o padrão visível.

Estas nuvens em forma de ondas são formadas entre duas camadas de ar com diferentes densidades e que também não viajam na mesma velocidade. Se uma camada menos densa de ar quente, existe sobre uma camada de ar mais frio, o vento através das duas camadas é forte o suficiente para que redemoinhos se desenvolvam. A evaporação e a condensação dos redemoinhos té que torna essas nuvens visíveis.

A instabilidade de Kelvin-Helmholtz não ocorre apenas em nuvens, mas também no oceano, em Saturno,  na Mancha Vermelha de Júpiter, e na “coroa” do sol.   As ondulações Kelvin-Helmholtz são uma formação rara, embora ocorra com vários tipos de nuvens.

Kelvin–Helmholtz – Clouds
Kelvin–Helmholtz – Clouds
Kelvin–Helmholtz – Clouds
Kelvin–Helmholtz – Clouds
Kelvin–Helmholtz – Clouds
Kelvin–Helmholtz – Clouds
Kelvin–Helmholtz – Clouds

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *