Dicas para os manifestantes de hoje - MISTURA URBANA

Dicas para os manifestantes de hoje

contraoaumento
A questão já foi além dos 20 centavos que motivaram o início dos protestos, a manifestação é por um transporte público de qualidade, por direitos. Direito de protestar sem sofrer violência policial, inclusive.
Para que esse protesto seja ouvido, entendido e de nenhuma forma distorcido ou invalidado pelas autoridades, mídia e opinião pública, é preciso que quem esteja lá tenha uma postura responsável diante de tudo que está acontecendo. Li muita coisa que pode ajudar e compartilho abaixo:

1 – SEM VIOLÊNCIA
Esse é o principal ponto. Quem vandaliza está sempre errado, sejam os manifestantes ou a polícia. Se inicialmente o manifestantes foram chamados de baderneiros e vândalos, nos últimos protestos em todo país ficou claro que violenta é a Polícia Militar, que disparou bombas e balas de borracha contra pessoas que pediam “SEM VIOLÊNCIA”. A PM não é uma polícia pacífica, sensata e sequer bem orientada, não se arrisque provocar, não jogue pedras nem lixo ou qualquer objeto. NÃO ATAQUE A POLÍCIA! Nem verbalmente, isso pode ser o estopim para repressão. Fotografe, reprima e denuncie qualquer ato de vandalismo. Materiais de construção foram colocados no Largo da Batata neste final de semana, pode ser uma “armadilha”, não caia na tentação de vandalizar. A luta é por transporte de qualidade, não destrua os ônibus e metrôs que todos precisamos e pagamos caro para ter.
O uso de máscaras ou lenços cobrindo o rosto constrangem a polícia, evite.

2 – FOTOGRAFE E FILME TUDO
A maior ferramenta contra a violência policial e a distorção dos fatos é o registro. Fotografe, filme e poste nas redes. Alguns tumblrs colaborativos foram criados para divulgação dessas imagens. Não intimide policiais com as câmeras a não ser que esteja presenciando algum ato violento. Não registre o rosto dos manifestantes, a polícia tem usado essas imagens para acusar pessoas de formação de quadrilha. Cuidado para não atrapalhar o trabalho da imprensa, se perceber um grupo de jornalistas e fotógrafos, respeite o espaço de trabalho deles, É MUITO IMPORTANTE que eles realizem esse trabalho.

3 – PROTEJA-SE
Use roupas e calçados confortáveis, a caminhada será longa. Dê preferencia a tecidos sintéticos (nylon, lycra, poliéster) que não absorve o gás lacrimogêneo como os tecidos naturais (algodão, lã, linho). Carregue uma capa de chuva, ela pode ser útil para “impermeabilizar” o corpo em caso de bombas.
Leve vinagre para conter os efeitos do gás. Você pode molhar lenços com o liquido e guardar numa sacola amarrada para evitar levar garrafas (que no último protesto foram apreendidas por serem confundidas com material explosivo). Máscaras de pintura e óculos de natação também são úteis na proteção contra o gás. NÃO USE LENTES DE CONTATO que retem o gás no seu olho e podem causar complicações sérias. Não esfregue os olhos. Nesse site você aprende como se proteger do gás. Aqui você aprende como lidar com a polícia em caso de prisão.
Leve bastante água e coisas para comer, como barrinhas de cereais.

4 – SOLIDARIZE
A ação é coletiva, esteja em grupo, pessoas sozinhas são alvos fáceis para a violência. Caso não tenha companhia, procure se enturmar com algum grupo. Ajude pessoas que se machucarem, se ofereça para chamar socorro e lembre-se: NUNCA deixe um companheiro de protesto sozinho. Registre atos de prisão e se possível tente descobrir o nome das pessoas abordadas pela polícia. Muita gente ficou horas detida sem comunicar aos familiares.

5 – NÃO CORRA!
Como assim, e se a polícia começar a atirar? Não corra, lembre-se que “policial é que nem cachorro, se ele te ver correndo vai achar que alguma coisa você fez”. Seguem algumas dicas (via @agentelaranja):
Se alguém estiver tentando negociar com a polícia e passar recomendações aos manifestantes, o corre-corre atrapalha a comunicação. A mesma coisa vale se algum grupo estiver tentando organizar uma barreira humana para proteger feridos ou organizar uma formação de defesa, resistência ou fuga. Se você correr, você pode aumentar seu estresse e perder capacidade de observar a situação e decidir racionalmente. Suor na texta pode escorrer nos olhos levando mais pimenta e gás lacrimogêneo. Quando você corre, pode atropelar outros manifestantes, tropeçar nas guias e obstáculos e se machucar à toa. A estratégia da PM tem se mostrado ser “desmobilizar pelo terror”. Correr propaga essa imagem, além de ser uma prova pro policial de que “está dando certo”. Não dê esse gostinho a ele. Também, nesses momentos, o objetivo da PM não é dispersar. Repito A PM NÃO JOGA BOMBA PARA DISPERSAR; eles diversas vezes tentam sim encurralar blocos de manifestantes para gerar pânico. Correr sem prestar atenção no cenário maior facilita que se caia nesse tipo de armadilhas.

{ATUALIZADO}

*A Renata Correa fez um post especial para mulheres que vão à manifestação em seu blog. Replico abaixo os pontos principais:

– Levem água mineral e pano limpo;
– Não deixem carteiras, celulares e dinheiro nos bolsos;
– Não vão de saia – os PMs estavam enfiando cacetetes debaixo das saias para desestabilizar emocionalmente as manifestantes;
– Quem tiver cabelo comprido não vá de rabo de cavalo, os PMs estavam puxando as meninas  pelos rabos de cavalo e é mais fácil de ser arrastada;
– Evitem mochilas e bolsas difíceis de carregar e vá com tênis confortável.

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *