Documentário “Cola de Farinha” por Maicknuclear - MISTURA URBANA

Documentário “Cola de Farinha” por Maicknuclear

 

Puramente uma manifestação artística, forma silenciosa/impactante de protestar, adornos por amor à cidade… Existe realmente uma só conotação indômita para a arte de rua? O Mistura Urbana selecionou um recém-lançado documentário para evidenciar essa arte “Cola de Farinha” (Wheatpaste), que sempre foi muito usada para fixar cartazes mundo afora, que nasceu da mente do artista Maicknuclear (conhecido pelos cartazes e expressões “Tenha um bom dia ou foda-se!”, “Pai Maicknuclear lê poema – amarra prosa – traz seu texto de volta em 7 dias”, série “Terrorismo Poético” e outras diversas manifestações artísticas por São Paulo).

A película fala sobre os chamados “lambe-lambe”, uma vertente da arte de rua que utiliza cartazes como intervenção urbana com intuitos que vão desde simples transmissão de ideias, divulgação de arte até protestos elaborados através de imagens e textos.

Cada artista que faz parte desse movimento tem um incentivo distinto por essa obra. Para Laura Guimarães “É uma necessidade para a cidade hoje. São Paulo é muito opressora”, diz. Miurrauze acredita que essa é uma maneira de “Expurgar o estresse do dia a dia”, e ainda afirma que “É uma terapia para mim”.

O idealizador desse projeto, MaickNuclear, conta que “Os cartazes começaram em 1454 no renascimento, com Saint Fleur. Depois com Tolousse Lautrec, que relatou o submundo e a boemia de Paris, e após toda a Rússia depois de 1917, onde foram copiados pelo nazismo. Aqui no Brasil teve uma importância fundamental da época da ditadura militar. E hoje é conhecido como lambe-lambe e arte de rua”.

Saiba mais sobre quem acredita na arte, confira o documentário na íntegra:


Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *