Fogo no Barraco - MISTURA URBANA

Fogo no Barraco

“São Paulo apresenta 1565 favelas (…) as últimas 9 ocorrências de incêndios (…) aconteceram em regiões que concentram apenas 7,28% delas.”

Soube hoje da existência de um projeto MUITO importante para a cidade de São Paulo, o Fogo no Barraco, que prevê monitorar os recorrentes incêndios em favelas da cidade, localizadas principalmente em áreas de grande especulação imobiliária. Através de um app colaborativo, pessoas comuns que se interessam pelo fenômeno da Combustão Espontânea de Favelas [ironia mode on] podem colaborar. Abaixo, informações retiradas do site do projeto, para quem tiver interesse em participar:

Sobre

Esse app é uma tentativa de investigação dos incontáveis incêndios que acontecem nas favelas paulistanas – em escala que não se vê, aparentemente, em outros lugares. Tudo o que é feito, por ora, é a projeção dos dados dessa planilha pública sobre o mapa de SP.
Como ajudar

Sobretudo, todos podem colaborar alimentando a planilha criada por Patrícia Cornils, que é de acesso público. Os dados são importados para este aplicativo automaticamente, com um atraso de algumas horas.

Alguns cuidados na hora de inserir ocorrências:

– Certifique-se de que a entrada já não foi cadastrada. Caso já exista, apenas atualize-a com dados suplementares, se os tiver;
– Preencha tantos dados quanto puder encontrar, toda informação é valiosa. Os dados mínimos são de data, endereço e fonte da notícia;
– Os campos com importâncias numéricas, tais como número de vítimas, casas destruídas, etc, cadastre como valores numéricos sempre que possível, em vez de texto corrido;
– Para preencher a coluna mapa, localize o ponto da ocorrência no Google Maps, centralize-o na tela, clique no botão de geração de link (um clipe) e selecione a URL gerada (com opção URL curta desativada). Cole na planilha;
– Programadores e designers podem ajudar a desenvolver este app. O código é aberto, essencialmente python e javascript, e está hospedado no github.
Quem puder conseguir dados de fontes oficiais, como bombeiros e defesa civil, por favor entre em contato conosco. Os dados de até 2009 são da defesa civil e são muito mais numerosos do que os já levantados manualmente, de sorte que provavelmente será melhor contar com alguma fonte de dados pública…

Para nos enviar qualquer pergunta ou sugestão, criamos um e-mail do projeto: [email protected]

 

A iniciativa é fantástica! Acusar a “mídia golpista” de omissão ao culpar os moradores dessas comunidades pelos incêncios é chover no molhado. Participar efetivamente dos problemas da cidade, sim, é atitude de cidadão consciente. Parabéns aos desenvolvedores e todos os responsáveis pelo projeto.

*Para se informar melhor:

Não acredite em combustão espontânea – http://petripuc.wordpress.com/2012/09/06/nao-acredite-em-combustao-espontanea

Arquitetura da Destruição – http://www.rollingstone.com.br/edicao/56/arquitetura-da-destruicao

Em São Paulo, as áreas valorizadas são as que têm mais incêndios – http://www.brasildefato.com.br/node/10552

 

 

 

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *