Coligação: Trollando por São Paulo - MISTURA URBANA

Coligação: Trollando por São Paulo

Uma coisa que tem me tirado um pouco do sério na internet é a completa falta de interesse político ou a “humorização” das eleições. Usa-se um meme do Facebook e pronto: cumpriu-se a meta de politização do ano. “Po, política é maior coisa chata, além do mais só tem ladrão, não adianta a gente ficar enquentando a cabeça com isso.” e assim tocamos tranquilamente nossa vida até  #FORA___________ [nome do futuro governante] virar meme nas redes sociais. Ok, devo admitir que a patrulha da militância política é um saco. Tão alienada quanto, inclusive, que vê messianidade onde não tem ou deveria ter. Uns carolas. Não acho que deva ser a ferro e fogo.

A questão é a informação, o interesse em conhecer, em pensar na cidade além do seu condomínio. E isso parece cada vez mais difícil em São Paulo. Mesmo do interior de nossos automóveis com ar condicionado e insulfim não conseguimos nos proteger do caos que toma a cidade. E não me refiro aqui ao trânsito caótico ou à violência policial sem limites ou ao analfabetismo funcional ou ao problema das enchentes eternamente recorrente ou à péssima qualidade na prestação de serviços. Estou falando do buraco negro que se forma no umbigo de cada cidadão de bem que não pensa no Universo além de sua existência e condições. Que pensa que suas necessidades e reinvindicações são as mais urgentes e importantes. O mesmo cara que reclama quando tem incêndio em favela por causa do trânsito gerado. Aquele cidadão que não tem preconceito MAS… abre aspas. O cara que acredita em Deus e quer que todos sejam regidos por seus dogmas. O cara que tá preocupado em tomar o café da manhã no horário mas não tá nem aí que a empregada demora 2 horas pra chegar e quando tem greve, chuva ou acidente, demora mais.

Hei, cara, acorda! A cidade não é e nem vai se tornar um feudo com segurança particular, shopping center e estacionamento de SUV só porque você quer. Nem vai cair como maná do céu. Por mais que você tente se convencer postando isso no seu mural. Xingar muito no Twitter depois não adianta: Twitter não é SAC eleitoral. Eleitor não é consumidor: é cidadão. Ônibus não é city tour é transporte. Guarda metropolitano não é inspetor de vila. Professora de escola infantil não é tia.

Se informar sobre a cidade e sobre os candidatos, propostas, parcerias, financiamentos de campanha são importantes por causa disso. Para o jovem que irá conviver por anos com as decisões (ou a falta de) tomadas agora principalmente. Informação para ampliar nossos horizontes e ver a cidade além da nossa zona de conforto. Porque conseguimos em poucas experiências de análise perceber contradições ou atestado de inexperiência ou má fé. Isso pode ser feito de diversas formas, a maioria dos candidatos tem sites com suas propostas de campanha detalhadas. Além dos debates promovidos e do horário eleitoral. É um saco mas entramos em polêmicas muito menos importantes no Twitter todos os dias.

Pensar na cidade, no organismo, na massa. Pensar que o que você faz afeta a vida do outro e o que acontece no Centro pode afetar Higienópolis que ali pertinho mas pode também chegar ao Grajaú e parar tudo em menos de meia hora. Participar da cidade, ter voz ativa, fazer escolhas, assumir responsabilidades. Todos nós bradamos aos quatro ventos por nosso direito de ir e vir mas muitas vezes nos esquecemos ou reduzimos a piadas os nossos direitos.

Vai preferir ficar trollando no FEICI?

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *