RJ :: Exposição Eat Art de Panmela Castro a.k.a Anarkia Boladona - MISTURA URBANA

RJ :: Exposição Eat Art de Panmela Castro a.k.a Anarkia Boladona

No dia 1 de junho a Rede Nami abre, no Espaço Cultural CEDIM Heloneida Studart, a Exposição “Eat Art” da Artista Panmela Castro.

A Exposição possui 26 fotografias de body graffiti produzidas entre 2009 e 2012. Durante a abertura, a artista convida o público a receber uma de suas obras na própria pele e todo o processo da performance será distribuído em suas redes sociais: Twiter, Facebook e instagram.

“Eat Art” ou arte para comer, unindo os imaginários do digestivo e do erótico. Se o Graffiti nos muros da metrópole parece, então, atualizá-la e, de certa forma, digeri-la, encenando a retomada do público como local por excelência do erguimento da pólis, agora mais como obra de seus praticantes que de seus gestores, ou seja, muros mais de carne viva que de concreto asséptico, a exposição “Eat Art” faz transmutar de vez, abandonando a metáfora, a pedra em carne.

Não se trata, no entanto, de uma carne qualquer, mas de carne masculina, uma carne que tradicionalmente não se deixa comer, uma carne dura-quase-muro, cujo cimento é a honra do macho.

Se na metrópole contemporânea os grandes monumentos, cansados da morbidez de sua dureza, já reclamam novos movimentos, uma maior feminilidade, a macheza também vem rindo de si. Anacrônicos, no entanto, sejam os gestores, sejam os guardiões da moral macha, ambos clamam pela mesma coisa – por uma dureza de outrora. E se há alguma coisa que estremece essa dureza, é a mulher sexualizada, a mulher protagonista de suas preferências sexuais.

De posse disso, então, Anarkia leva alguns machos até seu atelier e, a sós, despe-os, escolhe alguma parte de seus corpos-muros e os torna não mais apenas pele, mas também suor e tinta. Suor, tinta e pele compõem juntos, um cenário tensionado pela masculinidade aparentemente mais passiva do modelo e pela feminilidade talvez mais ativa da artista, balançando assim nossos códigos de gênero mais bem conhecidos.

Claro, no entanto, que o odor sexual do ambiente e da interação pode produzir excitação não só no modelo, mas também na artista, o que fica explícito em algumas das fotos. A produção estética aqui não é mais apenas o Graffiti no corpo do rapaz, mas o convite, o aceite, o despir-se, os toques, as falas, os suores, quando, por fim, não se sabe mais quem come quem.

————–

Panmela Castro a.k.a Anarkia Boladona recebeu inúmeros reconhecimentos, entre eles o DVF Awards e o Vital Voices Global Leadership Awards na categoria de direitos humanos. Em 2012 foi eleita junto com a Presidenta Dilma Russef pela prestigiada revista Newsweek como uma das 150 mulheres que estão bombando no mundo.

Informações:

O quê: Exposição “Eat Art” de obras de body paint da artista grafiteira Panmela Castro, AKA Anarkia.

Local: Espaço Cultural CEDIM Heloneida Studart – Rua Camerino, 51 – Centro – RJ – Telefax: 2334-9527

Quando: De 02 à 15 de junho, abertura dia 1 de junho às 18hrs.

Contatos: [email protected] – 21 97846660

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com

1 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. […] RJ – Exposição “Eat Art” de Panmela Castro Cecilia OlliveiraJornalista – Esp. em Criminalidade e Segurança Pública, Adm Pública e 3° […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *