Devendra Banhart, um texano nada cowboy - MISTURA URBANA

Devendra Banhart, um texano nada cowboy

Essa semana vou escrever sobre Devendra. Tenho escutado muito sua música, que me chamou atenção pelas ótimas melodias, musicalidade excelente e suas letras são muito interessantes. Filho de mãe venezuelana e pai americano, Devendra nasceu em Houston, Texas, mas foi criado por sua mãe na Venezuela, tanto que muitas de suas canções são em espanhol.  Cantor, compositor e artista visual, Devendra começou a estudar na Escola de Artes de São Francisco em 1998, mas largou para apresentar sua música na Europa, São Francisco e Los Angeles. Lançou seu primeiro álbum em 2002 na gravadora Young God continuou gravando com a gravadora XL, sua gravadora atual.  Banhart atuou com a banda Vetiver, Carnegie Hall e em Hollywood Bowl abrindo para Gilberto Gil, também para Bonnaroo e o Festival de Coachella.  Como artista visual, teve seus trabalhos expostos no Museu de Arte Moderna de São Francisco e no Centro de Finas Artes de Bruxelas. Também obteve alguns trabalhos expostos em Miami, Itália, Espanha e Nova York. Contribuiu para alguns trabalhos de artistas como Beck e Caetano Veloso.  Seu estilo é frequentemente associado com o chamado “New Weird America” ou “Novo Estranho America” juntamente com Vetiver e Joanna Newsom. O New York Times chamou seu trabalho de “trabalho livre associativo. Outros já qualificam como psych folk, freak folk, hipster folk revival e folk alternativo.  Seja qual for a classificação do estilo, é o tipo de música perfeito para se ouvir a qualquer hora do dia ou da noite.Devendra Banhart

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *