Ch-ch-ch-ch-changes - MISTURA URBANA

Ch-ch-ch-ch-changes

Um texto para segunda-feira. Para ler ouvindo quem sempre se reinventou:

Caixas, fitas adesivas, jornais velhos, pano, álcool, disposição, desapego e sonhos. Com todo esse aparato e um tanto confusa por onde começar tento me encontrar nesse emaranhado de sentimentos que ainda não conheço e insistem em se misturar e dar o ar da graça nos momentos mais inoportunos.

Penso qual será o próximo passo. Os próximos. Tudo novo, vida nova, tudo diferente, tudo lindo, tudo meu. Pronto pra derrubar, erguer, colorir, ensolarar, molhar e mudar o tanto que eu quiser. E encaro o processo.

Time may change me but I can't trace time

A mudança acontece. Não apenas enquanto eu embrulho nas revistas velhas, que eu tenho desde os tempos de solteira, a coleção de garrafas das cervejas diferentes que meu marido e eu já tomamos juntos. A mudança acontece enquanto eu vejo tudo o que eu tenho, que é bem mais do que eu contabilizava, acontece enquanto eu lembro dos momentos incríveis que eu passei descobrindo São Paulo atrás de cada pedaço da minha casa, acontece quando eu desfaço, repasso, reinvento tudo o que não cabe mais no que será novo agora.

A mudança acontece quando eu descubro que posso ter calma, pois demorei dois anos pra compreender qual é o melhor lugar pra cada vaso de planta na casa, como as luzes do dia e da noite se comportam através de cada janela, o lugar preferido da soneca das cachorras e que o lugar preferido das almofadas é o chão. E aperto os cintos e enxugo os bolsos. Aperto as goteiras e descubro tanta coisa que era must have escondida e esquecida nas caixas do quartinho da bagunça. E engordo o porquinho dos projetos. Novos. A mudança acontece quando eu repenso o que eu quis e o que eu quero. Pra hoje, pra amanhã, pra daqui 10 anos, pros meus pais, pros meus filhos, pro país e pela natureza.

E acontecimentos não param por aí… assim como os problemas que, segundo Leminski, tem família grande, as mudanças também tem. Que venham!

 

 

 

Comments

comments

2 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. Adorei o texto! :)

    Redatora de Merda / Responder
  2. Já mudei muito, em algumas vezes foram mais de 2 viagens e outras só a roupa do corpo e as meninas. Lindo texto Ariane!

    rose / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *