Madam Borgeois em julho - MISTURA URBANA

Madam Borgeois em julho

Aos amantes da arte moderna e contemporânea, em julho o Instituto Tomie Ohtake traz para São Paulo a artista franco-americana Louise Borgeois (1911 – 2010). Seus trabalhos, sendo entre os mais conhecidos suas lindas aranhas, resultou em seu apelido “Spiderwoman”.

A retrospectiva de sua obra atravessa todo um legado psicanalítico que resgata todo um estudo de textos escritos pela artista ao longo de sua vida, dos quais uma pequena parcela foi encontrada em 2004 e, a maior parte, em 2010. A mostra reúne 112 trabalhos, de 1942 a 2009, que focam a atração da Madame Borgeois pela psicanálise e pelo enfrentamento de temas de sua realidade subjetiva e emocional que a conduziram a uma pesquisa de dupla embocadura: arte e ciência; criação e psicanálise.

Madame Borgeois estudou Matemática, porém com a morte de sua mãe, abandonou o curso e começou a estudar artes. Graduou-se em Sorbonne em 1935 e continuou seus estudos na Académie de la Grande Chaumière em Paris no ano de 1937. Estudou em várias outras escolas como a do Louvre e das Belas Artes de Paris. Em Paris mesmo conheceu seu marido americano Robert Goldwater e mudou-se para Nova York onde Borgeois frequentou a Art Students League of New York estudando pinturas e esculturas.

Uma de suas frases favoritas é “Em todo o mundo moderno, há negligência, a necessidade de ser reconhecido, o que não está satisfeito. A arte é uma forma de reconhecer a si mesmo, é por isso que será sempre moderna.”

A exposição será do dia 8 de julho ao dia 28 de agosto no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo.

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *