Área VIP e afins... coisa de brasileiro. - MISTURA URBANA

Área VIP e afins… coisa de brasileiro.

Ando bem revoltada com a promoção de festas no Brasil. O que mais me irrita quando volto de uma viagem ao exterior é voltar ao Brasil e me deparar com festas, principalmente os grandes festivais de música eletrônica e topar com dois preços: o de pista e o da tal famosa “área VIP”. Palhaçada que acontece SÓ no Brasil.

Podem reparar. No último Skol Beats há uns 4 anos atrás havia uma área VIP tão ridícula que além de ser atrás dos palcos (onde não se via praticamente NADA, nem DJ’s, nem público), o som era abafado e as pessoas de plástico. Meus amigos estrangeiros, principalmente os alemães, ficam loucos da vida. Não entendem. Me perguntam como que o Brasil, um país tão diversificado culturalmente pode querer se “separar” uns dos outros.

Na Tribe, festival de psytrance, era ainda pior. A área VIP ficava também disposta do lado do palco mas de uma maneira que você não enxergava nem de longe o DJ. A música também abafada, não tinha caixas de som lá dentro para pelo menos você curtir o som mais limpo, nada. E gente de plástico aos montes, aliás é o que mais tem nessas áreas. Deveríamos mudar o nome de VIP por PPA (plastic people area). Que gostoso é ir numa festa em Berlim, Lisboa ou até Ibiza (que algumas festas reservam um espaçinho para os “PPA” mas em geral são todo mundo junto e feliz) e dançar no meio de todo mundo, plásticos, doidos, pobres, ricos, feios e bonitos. É lindo !!!

Mas não. O Brasil tem que se separar. Separatismo puro. E digo mais: coisa de paulistano! Paulistano é metido a besta, adora se diferenciar uns dos outros. No Rio quase não tem isso. Floripa, pouquíssimas festas que eu me lembre ter ido tinha a tal área VIP e quando tinha, adivinha? Promovida por paulistanos. Curitiba não tem isso. Quando tem, pode ter certeza que tem paulistano no meio. Enfim, você gasta 50% a mais no convite para não ver o DJ tocar de frente (alguém já foi em algum show de rock e assistiu o guitarrista ou vocalista de costas?), só pra estar no meio de um bando de metido a “playboy”. É hilário isso. Deveríamos começar a pensar mais sobre isso e vetar essas tais áreas. Somos um só. Não deveria haver área separada para você se divertir a noite. Não quer ver gente feia e pobre, vai embora pra Suiça então!!!

Comments

comments

9 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. o problema Claudia é que isso agora acontece até em show de rock! é um ABSURDO… por que quem curte MESMO fica excluido das areas premium que geralmente sao cheias de babacas filhos e amigos de nao sei quem que ganham o convite praquela área como cortesia..

    eh a coisa mais RIDICULA do mundo… o Brasil tem que parar de querer ser metido a besta essa é a coisa mais queima filme do mundo!!!!!!!!

    lila / Responder
  2. essas coisas que acontecem no brasil é bem complicado, ai depois reclamam que o povo é preconceituoso. que maior preconceito que isso.
    area vip é bem caro então é praticamente uma forma de separar os mais ricos dos pobres. idiotice pura.

    xhugolrx / Responder
  3. É simples a solução, economize dinheiro e fique na pista como a maioria das pessoas normais….

    tsc tsc tsc Patricinha pagando de inclusiva é foda.

    João / Responder
  4. separatismo em show de rock chega a ser piada.

    Andréia Magalhães / Responder
  5. Ridículo! Área VIP é mais uma forma de ganhar dinheiro! Mas enquanto existir pessoas que paguem, isso infelizmente vai continuar. VIP’s que pagam uma grana absurda para ficar “na frente” nos shows de rock ou qq outro que seja e pessoas “importantes” que ganham ingressos e nem curtem o som, a banda, etc. Área VIP, camarote, essas coisas, são para as pessoas que vão nos eventos, sejam eles quais foram, por causa do oba-oba, para aparecer! Show que é show é na pista e ponto final! Com o povão, sentindo o som, o clima, a banda! Área VIP e camarote são definitivamente coisas de babacas, mimados e metidos a besta! Desculpem a má educação, mas isso sempre me revoltou!

    Marcelo / Responder
  6. É a verdadeira banalização de shows e festas… Uma última tribe que eu fui uns anos atrás rolou de amigos entrarem na área VIP, 5 minutos ali dentro e você consegue sentir o festival de caras e bocas, por mais que o espaço seja horrível você está na ÁREA VIP, rs… Monte de gente insegura.

    Gostei do post, depois podemos esticar ele ainda mais, esse tópico da pra separar por capítulos, hahaha… Bjus Cacau.

    Jorge / Responder
  7. O texto prega a igualdade mas é contraditório ao discriminar os paulistanos. A culpa da pista vip é dos produtores que inventaram isso, e não do público. Afinal quem quer ir num show e pagar caro pra ficar longe? No show do Paul McCartney o preço pra ficar lá atrás era de 300 reais, absurdo. A tacada de mestre dos produtores foi sacar que o cara que é fã mesmo vai pagar 700, 800 ou mil reais pra ver de perto, o que alimenta ainda mais esse sistema.

    Diogo Marcelino / Responder
  8. Pois é.. além de ser ridículo é CAFONA !! Acho muito brega quando alguém diz que vai pra “área VIP ou que comprou camarote”.. me dá nauseas..

    Qualquer evento, seja show de rock, festival eletrônico ou show de MPB é extremamente deselegante fazer uma area reservada aos “metidos à rico”, porque muitos até tem dinheiro pra comprar VIP, mas não tem dinheiro pra sair do país já que não suportam se misturar com a brasileirada “povão” !!!

    Deveríamos parar de vez de comprar esses VIPS para ver se os organizadores desses eventos se tocam da palhaçada que estão fazendo, mas infelizmente há muita gente FÚTIL no mundo, que preferem ficar nessas áreas fazendo caras e bocas e ser alvo dos flashs dos fotógrafos babacas que ainda publicam esses idiotas em páginas de colunas sociais.

    triste.. mais um desaforo para a imagem já desgastada do país.

    Claudia Junqueira / Responder
  9. Eu já não penso dessa forma, no meu caso por exemplo em diversos eventos opto pela área VIP, simplesmente pra ter mais conforto, espaço, banheiros mais acessíveis, principalmente quando se está com namorada. Se tem gente que fica nessas áreas simplesmente pra pagar de rico também é outra coisa que não pode ser generalizada. Cada um cada um, em shows por exemplo quero estar perto da banda mas ao mesmo tempo nao kero ser esmagado na grade.

    Wise / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *