VIDE URBE - Mostra dedicada a videoarte - RJ - MISTURA URBANA

VIDE URBE – Mostra dedicada a videoarte – RJ

A partir do dia 5 de maio acontece a Vide Urbe (http://www.videurbe.com.br/), primeira mostra itinerante totalmente dedicada à videoarte em espaços públicos no Rio de Janeiro. Quatro artistas vão explorar, como suporte, a trama arquitetural da cidade. O projeto, além de poetizar novas topografias possíveis para a projeção do imaginário videográfico da arte contemporânea, possibilita um contato direto com o público em geral além de incluir jovens de comunidades populares através das oficinas de vídeo ao vivo.

Com curadoria da videoartista Moana Mayall, idealizadora do evento, a Vide Urbe propõe o espaço público urbano como uma experiência aberta de apreciação artística, através da videoarte contemporânea. ”Essa é a primeira experiência mas a cada edição da mostra vamos explorar, como suporte e interface, as “peles” super-expostas da cidade: suas arquiteturas, relevos e texturas próprias, desde suas amplas superfícies concretas, até as interferências multissensoriais geradas por seu cotidiano”, conceitua Moana.

Nessa primeira edição, com patrocínio da Oi, da Secretaria de Cultura do Estado e com apoio cultural do Oi Futuro, Moana convidou quatro artistas cujas obras vão se expandir na larga escala do suporte da cidade. Ao longo de uma semana, os artistas Eder Santos, Simone Michelin, João Penoni e Chico Jofilsan ocupam, com  videoartes de sua autoria, empenas e fachadas localizadas entre a Zona Sul, Centro e Zona Norte do Rio. Trata-se de um deslocamento do espaço neutro da galeria para a rua: “Uma ação antimonótona, repleta de pulsões, imprevistos e também de história”, observa a curadora.

O Vide Urbe trata de inventar novas topografias possíveis para a projeção videográfica da arte contemporânea. “À arte cabe reconectar e provocar os vários campos do conhecimento, como por exemplo a arquitetura e o planejamento urbano, assim como o seu próprio lugar no mundo perturbando suas fronteiras e mantendo viva a possibilidade do encanto, da disrupção e do inusitado” finaliza Moana Mayall.

Programação:

Oi Futuro Ipanema – 5 de maio, quinta-feira :: “Dogville”, de Eder Santos, inaugura a mostra a partir da fachada art déco do Oi Futuro Ipanema. Do suporte tv para o suporte arquitetura, a obra adquire novas poéticas e um público em trânsito.
Localização: Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema  (ao lado do Metrô de Ipanema – saída Visconde de Pirajá).

Lapa – 7 de maio, sábado :: Chico Jofilsan reveste com “Janelas Habitadas” a empena de um grande edifício garagem da rua das Marrecas, na Lapa, humanizando e fazendo sonhar um prédio habitado, no seu dia a dia, apenas por carros. Voltada para os Arcos da Lapa e a agitação típica de um sábado à noite, a projeção poderá ser observada de vários pontos desse corredor cultural.
Localização: Rua das Marrecas 39, fundos, Lapa, Centro (empena voltada para a rua Evaristo da Veiga, em frente ao Largo dos Arcos).

Centro – 9 de maio, segunda-feira :: “Circuito”, de João Penoni, situa o corpo na superfície concreta da empena de uma casa noturna na Lapa, transformada em portal para um passeio pela cidade do Rio e outros recantos, guiado por uma figura corpórea meio real e meio fantástica.
Localização: Travessa Mosqueira, 13, Lapa, Centro (empena em frente a rua Mem de Sá, próximo a Sala Cecília Meireles).

UERJ – 11 de maio, quarta-feira :: A cidade e o espaço público são campos de investigação muito presentes na trajetória artística de Simone Michelin. Em sua obra articulam-se dados interdisciplinares ativando questionamentos semióticos, políticos e tecnológicos. Projetada sobre uma das empenas do campus da UERJ, no Maracanã, voltada também para as comunidades da Mangueira e Parque da Candelária, “Fogos de artifício” faz acender um diálogo poético em combustão, conectando imagem, informação e dois espaços bem próximos, porém díspares na geografia social carioca.
Localização: Campus Maracanã (portão situado próximo a saída do Metrô, na entrada onde fica o anfiteatro).

Oficinas Vide Urbe

Vide Urbe, em latim, quer dizer “veja a cidade”: como você vê a sua? Esse é o tema guia das oficinas Vide Urbe, que vão incluir a produção artística de alunos recém formados na Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia. Experiências pessoais ou compartilhadas, a partir do próprio cotidiano dos participantes e de seus percursos dentro do Rio, serão matéria-prima para a criação de vídeos que serão recombinados ao vivo, em projeções coletivas que farão parte da semana da mostra Vide Urbe.

Data: 5 a 12 de maio

Locais: Zona Sul, Centro e Zona Norte

Entrada: Grátis

Horário:
19h às 24h

Comments

comments

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *