Nouvelle Vague - MISTURA URBANA

Nouvelle Vague

Não me considero uma cinéfila, mas gosto muito de filmes. Não assisti ao Oscar, nem assisti todos os filmes estavam concorrendo.


Confesso ser uma apaixonada pelo cinema francês, ou melhor, pelo cinema europeu, de uma forma geral. Fico viajando na fotografia, na trilha sonora e no sotaque irresistível dos atores.


O cinema nasceu na França, com a invenção do cinematógrafo, criado por León Bouly em 1892, patenteado e explorado pelos irmãos Lumière três anos depois. Junto deles, o ilusionista Georges Méliès, tornou-se o pioneiro da ficção no cinema.


Entre os diretores que mais admiro estão François Truffaut, Luc Besson, Jean-Luc Godard, Ingmar Bergman, Murnau, Fritz Lang and Jean Renoir.


De filmes recentes que assisti, posso indicar “Acossado” (“À Bout de Soufle”) de Jean-Luc Godard, roteiro de François Truffaut, um drama policial muito bom, “Os Incompreendidos” (“Les 400 Coups”) de François Truffaut, drama, ótimo filme, uma obra prima da nouvelle vague que vale a pena assistir e “Minha noite com ela” (“Ma nuit chez maud”) de Eric Rohmer , drama em preto e branco, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro e melhor roteiro original – 1970.

Comments

comments

2 Comentários

Junte-se a conversa →

  1. ola claudia

    dias atras tb escrevi sobre o cinema frances. adoro truffaut (farenheit451 – filme chave)e todos o q vc citou, menção apenas ao leo carax, que fez os amantes de ponte neuf que nunca mais achei.
    abraços?
    fellini?

    fellini ? / Responder
  2. No MAM do Rio de Janeiro, tá rolando “Amor à francesa”.Vai até o dia 30 de abril.
    Vale super apena ir ótimos filmes.
    Adoro movimento nouvelle vague, dogma. Cinema feito “a mão”.

    Thalita / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *