FIFA irá reconsiderar o uso do replay - MISTURA URBANA

FIFA irá reconsiderar o uso do replay

Contestar a arbitragem faz parte do jogo, mas no último domingo, torcedores assistindo a Copa do Mundo presenciaram em 2 telões duas grandes provas de incompetência dos árbitros: Primeiro, quando a Inglaterra jogou contra a Alemanha, a Inglaterra estava perdendo de 2 a 1 quando fizeram um gol, como se vê na foto acima -, mas porque a bola quicou para fora do gol antes do árbitro “ver”, eles não cedidos o ponto. Provavelmente, se tivessem terminado o primeiro tempo empatados 2 a 2, eles poderiam ter jogado o segundo tempo de forma diferente e não terem perdido de 4 a 1. Naquela mesma tarde, quando a Argentina jogou contra o México, Carlos Tevez marcou o primeiro gol – irregular – da Argentina, mas o árbitro não contestou. A Argentina ganhou de 3 a 1.

Agora, presidente e arqui-tradicionalistas da Fifa, Joseph Blatter, anunciou seus planos para reconsiderar a solução tecnológica que por muito tempo estava fora de questão para ele: replays do vídeo.

Geralmente, Sepp Blatter e os tradicionalistas do futebol argumentariam contra replay por dois motivos: Primeiro, o futebol é jogado em todo o mundo, e uma vez que muitos dos países em o esporte é jogado não possuem recursos de tecnologia de vídeo, seria injusto criar uma estrutura bifurcada de jogo onde as nações ricas são capazes de desempenhar  uma arbitragem “melhor” ou mais rigorosa. Em segundo lugar, os erros são apenas uma parte do jogo.

Mas estes argumentos são ocos para muitos fãs. Por um lado, acusações de corrupção giram em torno da FIFA e até mesmo o Sr. Blatter, pessoalmente, e muitos fãs céticos sobre os resultados dos jogos como os da Copa do Mundo na Coréia do Sul, em 2002, alegam, justamente ou não, que árbitros corruptos são os culpados, e que muitas das suas arbitragens duvidosas seriam demolidas pelo replay técnico. Menos controverso, o problema com as arbitragens  é que eles desempenham um papel crucial no jogo: Em um jogo onde 1-0 é um resultado comum para um jogo, parece injusto que a casualidade de uma arbitragem deva ser a diferença entre um jogo de 0-0 e 1-0 num jogo, ou uma vitória por 1-0 e um empate 1-1. Estas disputas sugam o oxigênio do que deveria ser o foco principal do jogo: A habilidade de os próprios jogadores.

De acordo com o Wall Street Journal, a FIFA “reabriu o processo sobre os replays após esses dois jogos citados acima, e que Blatter pediu desculpas pessoalmente para as equipes britânicas e mexicanas após o jogo.

O Sr. Blatter disse que seria “um absurdo”, para a FIFA não voltar o olhar para a tecnologia na linha do gol com seu painel de regras. “Depois de ter presenciado tal situação,” o Sr. Blatter disse, se referindo ao não-gol da Inglaterra contra a Alemanha, ” temos definitivamente que re-abrir esta questão”.

Ele disse que a International Football Association Board irá considerar as alterações em uma reunião em Julho, em Cardiff, País de Gales. “Naturalmente iremos retomar a discussão sobre o uso de tecnologia. Algo precisa ser mudado”, disse o Sr. Blatter, acrescentando que o sistema não poderia ser mudado no meio da Copa do Mundo.

(via)

Comments

comments

Lila Varo

Lila Varo

Veja todos os posts

Lila Varo, é produtora de conteúdo, editora do Mistura Urbana e mais um continente a sua escolha. lila[@]misturaurbana.com

0 Comentários

Junte-se a conversa →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *